Desatentos, vereadores aprovam requerimento da oposição e tentam voltar atrás

Vereadores desatentos tentam, na sessão desta quinta-feira (21) na Câmara Municipal de Campo Grande, reformular seus votos sobre requerimento feito ao Executivo. “Se os 22 não prestaram atenção é falha nossa”, redimiu-se um dos parlamentares. O requerimento aprovado é da vereadora Luiza Ribeiro (PPS). No documento, ela pede à Prefeitura uma série de informações sobre […]
| 21/08/2014
- 19:30
Desatentos, vereadores aprovam requerimento da oposição e tentam voltar atrás

Vereadores desatentos tentam, na sessão desta quinta-feira (21) na Câmara Municipal de Campo Grande, reformular seus votos sobre requerimento feito ao Executivo. “Se os 22 não prestaram atenção é falha nossa”, redimiu-se um dos parlamentares.

O requerimento aprovado é da vereadora Luiza Ribeiro (PPS). No documento, ela pede à Prefeitura uma série de informações sobre o processo de locação e arrendamento do Hospital Sírio-Libanês, que custará R$ 2,2 milhões ao município.

Para o vereador Eduardo Romero (PTdoB), não há necessidade de os colegas de casa reverem o voto. “O procedimento foi feito de forma correta, foi lido, ninguém quis discutir. Se os 22 não prestaram atenção é falha nossa”, sintetizou.

A autora do requerimento teria acordado com o líder do prefeito na casa, João Rocha (PSDB), de encaminhar o pedido sem que houvesse necessidade de o prefeito, Gilmar Olarte (PP), ir até a Câmara dar explicações. O que os parlamentares aprovaram, no entanto, é que o chefe do Executivo vá até o plenário.

Há pelo menos dois vereadores tentando alterar o voto: Paulo Siufi (PMDB) e Airton Saraiva (DEM). Foram 22 avais ao requerimento sobre o Sírio-Libanês e, agora, o assunto segue em debate na Câmara.

Atualizada às 12h54 para correção de informação

Veja também

Mesmo com voto facultativo, há 87,4 mil eleitoras com mais de 100 anos

Últimas notícias