Política

Depois de pedir cargos, Puccinelli adia saída de secretários que disputarão as eleições

O governador André Puccinelli (PMDB) afirmou na manhã desta segunda-feira (27) que vai adiar a saída de secretários que irão disputar a eleição deste ano. No fim do ano passado, ele se reuniu com seu primeiro escalão e pediu os cargos dos futuros candidatos até 31 de janeiro. “Todos a priori está postergado para sair […]

Arquivo Publicado em 27/01/2014, às 16h39

None
900831937.jpg

O governador André Puccinelli (PMDB) afirmou na manhã desta segunda-feira (27) que vai adiar a saída de secretários que irão disputar a eleição deste ano. No fim do ano passado, ele se reuniu com seu primeiro escalão e pediu os cargos dos futuros candidatos até 31 de janeiro.


“Todos a priori está postergado para sair algum dia de algum mês antes do prazo legal”, afirmou o governador. Segundo a legislação eleitoral, aqueles que têm a intenção de disputar a eleição devem se descompatibilizar de cargos no Executivo seis meses antes da eleição. neste ano, o prazo encerra no dia 5 de abril.


Até o momento, as secretarias que devem passar por mudanças são: Obras – comandada por Edson Giroto (PR) -, Habitação – Carlos Marun (PMDB) -, Juventude – Herculano Borges (SDD) -, e de Desenvolvimento Agrário – Tereza Cristina.


“Vou conversar com cada secretário para ver com eles a vantagem do Executivo em que permaneçam ou não permaneçam que saiam ou não saiam”, pontuou André. Antes, apenas o secretário de Obras, Edson Giroto, havia afirmado que deixaria a pasta no prazo final por causa do Aquário do Pantanal.


Preferido


Puccinelli disse ainda que gostaria que Giroto encerrasse o mandato na administração, mas está livre para escolher. “Ele que sabe se quer ser candidato. Eu preferiria que o Giroto terminasse o mandato comigo, mas lhe darei todo o apoio caso ele queira sair candidato a deputado federal, estadual ou qualquer outro cargo.


Giroto é cotado para ser vice-governador na chapa de Delcídio do Amaral (PT), adversário de Nelsinho Trad (PMDB). No entanto, nem o petista e nem o secretário bateram o martelo sobre a composição.

Jornal Midiamax