Política

Depois de esquecer ‘humilhações’ e abraçar prefeito, Chocolate volta a reclamar de Bernal

O vereador Waldecy Chocolate (PP) voltou a reclamar que o prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) não reconhece seu valor dentro do partido. Em entrevista durante a sessão da Câmara na manhã desta quinta-feira (27), o vereador relatou que ainda não foi procurado pelo prefeito após o abraço dado em um evento público no […]

Arquivo Publicado em 27/02/2014, às 13h36

None

O vereador Waldecy Chocolate (PP) voltou a reclamar que o prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) não reconhece seu valor dentro do partido. Em entrevista durante a sessão da Câmara na manhã desta quinta-feira (27), o vereador relatou que ainda não foi procurado pelo prefeito após o abraço dado em um evento público no início deste mês.

“Não teve nenhum telefonema, nenhum gesto de aproximação”, reclamou. Chocolate havia rompido com a base no ano passado, mas este ano surpreendeu a todos quando abraçou Bernal em um evento.

Mas a paz parece ter ficado apenas naquele gesto e naquele dia. “Continuo na minha posição de neutralidade e continuo esperando o prefeito tomar alguma atitude. Gostaria que Bernal fosse mais claro e objetivo demonstrando o meu valor dentro do partido”, desabafou.

Chocolate afirmou que vai continuar esperando pelo contato do prefeito após o carnaval. “Em abril devo me definir. Espero que ele pare com essa história de que vai me expulsar do partido”, terminou.

O vereador declarou publicamente durante o ano passado que não estava mais na base do prefeito após a exoneração da esposa de um cargo de confiança na prefeitura.

À época, Chocolate falou como se estivesse conversando com o prefeito diante das câmeras da Casa de Leis e disse que o prefeito não reconhecia o apoio de quem sempre esteve ao seu lado.

No começo do mandato, Chocolate era o aliado mais fiel ao prefeito, atuando, por vezes, até como motorista. Porém, segundo o vereador, o clima entre os dois ficou ruim depois que anunciou que não seria comandado pelo líder.

“Não vou ser manipulado por ninguém. Não sou marionete. Falei isso para ele. Por isso não estamos se batendo”, justificou o vereador.

Jornal Midiamax