Política

Delcídio diz que PT pode se aliar a Puccinelli

Pré-candidato petista ao Governo de MS acha possível união entre adversários históricos. Em 2010 houve tentativa, mas Puccinelli acabou no palanque oposto ao de Dilma Rousseff.

Arquivo Publicado em 15/02/2014, às 17h26

None
417003818.jpg

Pré-candidato petista ao Governo de MS acha possível união entre adversários históricos. Em 2010 houve tentativa, mas Puccinelli acabou no palanque oposto ao de Dilma Rousseff.

O senador Delcídio do Amaral (PT) afirmou que as negociações do PT com o governador André Puccinelli (PMDB) estão só começando. O petista conversou com o ministro chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, depois do encontro dele com o peemedebista na última quinta-feira (13).

“Esta foi só a primeira conversa e acho que vai prosseguir com a presidente Dilma Rousseff”, afirmou o senador na manhã deste sábado (15), na posse da nova diretoria da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso do Sul (Aprosoja).

Segundo Delcídio, Mercadante fez um convite a André para o peemedebista sair candidato ao Senado na chapa do petista, abandonando de vez o apoio ao ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), ao governo do Estado. Mas o governador já apresentou suas razões para não fechar a aliança PT-PMDB em Mato Grosso do Sul.

Puccinelli disse que “passaram vaselina e tentaram convencer”, mas ele ficou “com a bunda encostada na parede”. Ainda de acordo com o governador, ele levará a proposta ao Diretório Estadual conforme pediu o ministro. Antes mesmo de apresentar a proposta, já declarou seu voto. “Voto contra essa aliança”, pontuou.

Doce

Ao chegar no evento, Puccinelli disse que era segredo a conversa sobre política com o ministro. Em seu discurso ele manteve a linha e garantiu que não conversou sobre o assunto nem com senador Moka (PMDB) e nem com Nelsinho.

Mas ao ir embora do evento disse que ele poderia fazer um doce sobre a proposta de Mercadante já que eles é que tinham maior interesse em sua candidatura. “Posso fazer um doce, pois eles que me querem”, finalizou o governador.  

Jornal Midiamax