Política

Delcídio diz que ‘paquera’ termina em março e valoriza parceria com PDT

O senador Delcídio do Amaral, pré-candidato petista ao governo do Estado, não perdeu a chance de ‘tirar uma casquinha’ dos adversários sobre a aliança fechada com o PDT, nesta sexta-feira (21). Para ele, a parceria representa uma grande vitória que incomodou muita gente, e mostra a aproximação do PT a partidos que esteve junto tradicionalmente. […]

Arquivo Publicado em 22/02/2014, às 00h35

None
1766869862.jpg

O senador Delcídio do Amaral, pré-candidato petista ao governo do Estado, não perdeu a chance de ‘tirar uma casquinha’ dos adversários sobre a aliança fechada com o PDT, nesta sexta-feira (21). Para ele, a parceria representa uma grande vitória que incomodou muita gente, e mostra a aproximação do PT a partidos que esteve junto tradicionalmente.

“Meu coração é coração de mãe, do tamanho do Estado. A vinda do PDT é ótima, primeiro porque é emblemático dentro desse desenho de uma chapa de Centro Esquerda, já que tem uma história bonita. Faz uma política voltada pra Sociedade, pra Educação, para os trabalhadores”, exalta o candidato petista.

A respeito das outras alianças, Delcídio manteve o mistério de costume, se esquivando em metáforas, arte que domina de forma especial na Política. Se durante a semana ele chegou a classificar a reunião com o PSD como ‘paquera’, na festa petista pelos 34 anos de inauguração do partido, o pré-candidato adiantou o seu destino. Os “flertes” para alianças tem data para terminar, já que o senador garante ser um homem sério, alguém que vai ‘noivar’ e ‘casar’.

“A paquera termina em março. Depois disso é namorar pra noivar ou pra casar. Hoje nós já tivemos uma boa notícia que é a do PDT. Uma coisa que vai deixar muita gente se estrebuxando” alfineta Delcídio, que aos poucos desenha sua chapa de Centro Esquerda.

Jornal Midiamax