Política

Conselho da Diversidade Sexual quer retratação de vereador que propôs isolar homossexuais

O CEDS-MS (Conselho Estadual da Diversidade Sexual de Mato Grosso do Sul), pedirá que o vereador e pastor Sérgio Nogueira (PSB) se retrate do pronunciamento que fez na Câmara Municipal de Dourados, 225 quilômetros de Campo Grande, na manhã desta segunda-feira (15). De acordo com o presidente do CEDS-MS, Leonardo Bastos, será entregue um ofício […]

Arquivo Publicado em 16/09/2014, às 21h28

None

O CEDS-MS (Conselho Estadual da Diversidade Sexual de Mato Grosso do Sul), pedirá que o vereador e pastor Sérgio Nogueira (PSB) se retrate do pronunciamento que fez na Câmara Municipal de Dourados, 225 quilômetros de Campo Grande, na manhã desta segunda-feira (15).

De acordo com o presidente do CEDS-MS, Leonardo Bastos, será entregue um ofício à Casa de Leis de Dourados, na noite desta quarta-feira (17), durante a abertura do workshop sobre homofobia “Avança Dourados: respeito à diversidade, combatendo a homofobia”.

“Particularmente acredito que ele se equivocou”, disse Leonardo, sobre o pronunciamento do vereador, que no início de seu discurso falou que todos devem ser contra a homofobia, e posteriormente deu um exemplo ao falar de colocar homossexuais durante 50 anos em uma ilha.

“Misturou convicções pessoais com de vereador, pessoa pública”, disse. Caso o pastor se recuse a pedir desculpas pelo que falou, o Conselho Estadual da Diversidade Sexual de Mato Grosso do Sul vai protocolar denúncia no Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul.

A diretora executiva da Associação de Gays, Lésbicas e Transgêneros de Dourados disse que será feito um ato de protesto durante a abertura do seminário na Câmara.

Pronunciamento na Câmara

O vereador Sérgio Nogueira (PSB), que é pastor, deu um exemplo no qual sugere que homossexuais sejam mantidos em uma ilha por 50 anos. A declaração foi feita durante discurso na Câmara Municipal de Dourados.

“Não podemos passar a ideia de que o anormal é normal”, disse o vereador e candidato a deputado estadual, conforme publicado no site da 94 FM Dourados. As afirmações do pastor seriam uma tentativa de explicar a inviabilidade de núcleos familiares formados por pessoas do mesmo sexo.

“Bota as pessoas que pensam assim numa ilha por 50 anos. Coloca essas pessoas numa ilha e depois de 50 anos volta para ver; não vai ter mais ninguém”, continuou o vereador, conforme descrito no site da rádio douradense.

Nogueira é o presidente da Comissão de Assistência Social da Câmara de Dourados. Ao falar sobre homossexualismo, ele emendou críticas ao governo federal e disse não ser a favor da homofobia. “Para esse governo a família tem que ser desconstruída no seu padrão normal para dar lugar a outros conceitos de família. Isso vem rasgar nossa Constituição ao meio, dizer que família é qualquer coisa”, analisou o vereador.

Por fim, conclamou os colegas do Legislativo local a atuarem contra “a prática do homossexualismo condenada nas escrituras sagradas”. “Perguntaria para qualquer vereador se podendo ser adotado se optaria por ser adotado por uma família de homossexuais. Não sou a favor da homofobia. Quero colocar a população para refletir. Isso é contra os nossos princípios”, concluiu.

Workshop

A abertura oficial do workshop acontece na Câmara de Vereadores, nesta quarta-feira, às 19 horas, quando será feito o lançamento de duas cartilhas para capacitação LGBT, além de palestra e debate.

Já no próximo dia 19 a secretaria realizará a primeira oficina com a comunidade escolar, funcionários, alunos e pais. As oficinas também serão realizadas nos dias 3, 20, 21 de outubro e nos dias 14 e 20 de novembro.

O encerramento será dia 20 de novembro, das 7 às 11 horas das 13 às 17 horas, no auditório da Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados) com palestra de encerramento.

Jornal Midiamax