Política

Com alianças ‘forçadas’, Puccinelli diz que todos os partidos estão rachados em MS

O governador André Puccinelli (PMDB) afirmou na manhã desta sexta-feira (30) que os partidos estão todos rachados em meio às alianças “forçadas” para disputa eleitoral deste ano. Segundo a lista do governador, a lista inclui: PT, PSDB, PMDB. “Tem PT rachado, PMDB rachado, PSDB rachado. Não é partido? Partido é rachado”, justificou Puccinelli. O próprio […]

Arquivo Publicado em 30/05/2014, às 13h20

None
1454595903.jpg

O governador André Puccinelli (PMDB) afirmou na manhã desta sexta-feira (30) que os partidos estão todos rachados em meio às alianças “forçadas” para disputa eleitoral deste ano. Segundo a lista do governador, a lista inclui: PT, PSDB, PMDB.


“Tem PT rachado, PMDB rachado, PSDB rachado. Não é partido? Partido é rachado”, justificou Puccinelli. O próprio partido do governador está rachado.


Primeiro o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado estadual Jerson Domingos (PMDB), vai trabalhar pelo petista, senador Delcídio do Amaral. Segundo o governador vai apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), enquanto a sigla deve apoiar Eduardo Campos (PSB). Ambos devem se licenciar.


O acordo foi feito entre Campos e o pré-candidato ao governo, ex-prefeito de Campo Grande Nelsinho Trad (PMDB). A aliança foi anunciada ontem com a presença de nem 10% dos filiados. Lideranças como o ex-vice-governador, Moacir Kohl, é um dos que só vai apoiar porque é fiel ao partido.


O presidente municipal do PSB, vereador Carlão, já declarou seu apoio a Delcídio.
Além disso, a REDE-MS também ficou de fora. A coordenadora executiva da sigla, Tatiana Ujacow, anunciou antes do encontro que independente do desejo de Eduardo Campos a REDE não participará da aliança com o PMDB e não apoia a candidatura de Nelsinho. O pré-candidato e o presidente regional do PSB, prefeito de Dourados Murilo Zauith, ainda pensam em reaproximação com a REDE.


No PSDB, prefeitos e vices pediram a desfiliação para apoiar Delcídio em detrimento à candidatura do deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) que decidiu disputar o governo neste mês.
Pediram desfiliação: Douglas Figueiredo – prefeito de Anastácio -, Zé Roberto – prefeito de Iguatemi -, Dr. Marcelo – vice-prefeito de Sidrolândia – e Horacio Godoy – vice-prefeito de Caracol.


No PT, o presidente regional, prefeito de Corumbá Paulo Duarte pediu, no encontro estadual do partido, aos correligionários que deixem as brigas de lado e foquem na eleição. Para que as intrigas não atrapalhem o partido como foi nas últimas eleições.

Jornal Midiamax