Política

Câmara poderá convocar quase todos os secretários de Bernal para esclarecimentos

A Câmara Municipal estuda a convocação dos secretários municipais que estavam no plenário no dia 26 de dezembro, dia da sessão de julgamento do prefeito Alcides Bernal (PP), incitando os presentes a protestarem contra os vereadores. “Estamos vendo a possibilidade de convocar praticamente todos os secretários, com exceção do Semy e do Ben Hur”, afirmou […]

Arquivo Publicado em 07/01/2014, às 12h40

None
659906179.jpg

A Câmara Municipal estuda a convocação dos secretários municipais que estavam no plenário no dia 26 de dezembro, dia da sessão de julgamento do prefeito Alcides Bernal (PP), incitando os presentes a protestarem contra os vereadores.

“Estamos vendo a possibilidade de convocar praticamente todos os secretários, com exceção do Semy e do Ben Hur”, afirmou o presidente da Casa, Mario Cesar (PMDB).

Para o peemedebista,  os secretários se comportaram de maneira agressiva no evento e que este tipo de comportamento é intolerável. “A maneira agressiva como eles se comportaram não dá para aceitar”, completou. Secretários e nomeados de Bernal usaram palavras de baixo calão e jogaram garrafas d’água em vereadores durante a sessão de julgamento do prefeito.

A Câmara vai aguardar o início do ano legislativo para decidir sobre o caso. Por enquanto, a Casa de Leis está analisando as imagens das câmeras que gravam as sessões e as de segurança. “Estamos revendo as fitas das câmeras minuciosamente”, disse o peemedebista.

O presidente também disse que haverá uma reunião com as Comissões Permanentes para discutirem sobre a convocação. Mas que a convocação pode ser feita por qualquer vereador. “A Comissão de Constituição e Justiça é a comissão correspondente. Mas qualquer vereador pode pedir o requerimento que precisa ser aprovado em plenário”, pontuou.

O plenário ficou lotado por aqueles que “defendem” o prefeito. Mas para Mario Cesar o episódio ficou claro que não se trata de apoio popular. “Ficou velada que secretários e comissionados é que estavam lá”, disse o presidente.

Jornal Midiamax