Política

Bernal e ex-secretários devem ser denunciados e processados por erros na prefeitura

Desde documentos e computadores que desapareceram, até contratações sem processo administrativo, erros e ilícitos serão classificados pela Procuradoria do Município. Serão abertos procedimentos administrativos e ações judiciais contra Alcides Bernal e os antigos secretários.

Arquivo Publicado em 15/04/2014, às 12h05

None

Desde documentos e computadores que desapareceram, até contratações sem processo administrativo, erros e ilícitos serão classificados pela Procuradoria do Município. Serão abertos procedimentos administrativos e ações judiciais contra Alcides Bernal e os antigos secretários.

A Prefeitura de Campo Grande pretende finalizar neste mês a análise e classificação de irregularidades encontradas nas secretarias municipais e cometidas durante a gestão do ex-prefeito Alcides bernal, cassado em 12 de março. O trabalho é conduzido pela a Procuradoria-Geral do Município.

Contas e documentação estão passando por análise e as irregularidades serão classificadas de acordo com o tipo de medida cabível. Entre os problemas já comprovados, segundo a Procuradoria, estão serviços feitos sem processo administrativo, paralisação de obras por falta de pagamento, extravio de processos e até o sumiço de computadores.

Segundo a prefeitura, serão adotadas as providências administrativas e judiciais necessárias de acordo com o tipo de problema. O secretário de Governo e Relações Institucionais, Rodrigo Pimentel, afirma que dados preliminares saltam aos olhos pela quantidade de irregularidades básicas encontradas.

“São desde documentos que não são encontrados, contratos sem assinatura e até mesmo movimentações financeiras incompatíveis. Mas é cedo para falar”, explicou, ao afirmar que tudo passará por análise criteriosa da Procuradoria.

Todos os contratos apontados como suspeitos pelas administrações de cada uma das secretarias serão analisados pelos advogados da prefeitura, que vão apontar em relatório a ser entregue no fim do mês qual o tipo de medida a ser tomada pelo executivo municipal.

“O setor jurídico vai fazer a análise das contas e ver se são casos de procedimentos administrativos, ações de obrigação de fazer, ações judiciais e até mesmo indicações de investigação ao Ministério Público Estadual”, diz Pimentel.

O secretário Pimentel e o secretário-adjunto Marcelo Amaral estão juntando os levantamentos das secretarias e aguardam apenas a conclusão dos relatórios da Fundação Social do Trabalho (Funsat), Instituto Municipal de Tecnologia da Informação (Imti) e da Secretaria Municipal de Administração (Semad).

“Estamos nos cercando para que depois essas falhas não atinjam a administração atual. Precisamos corrigir todos esses erros”, explicou Pimentel.

Entre os mais graves, estão serviços executados sem abertura de processo administrativo, fornecedores sem pagamento, extravio de computadores, transferência de bens patrimoniais adquiridos por convênio a outras secretarias, retirada não autorizada de processos, inversão na ordem de pagamentos de precatórios, paralisação de obras por falta de pagamento dos contratados, falta de manutenção da frota, compras executadas sem planejamento e critério e notificação dos ex-secretários para cumprimento de assinaturas em atos por eles realizados em processos administrativos.

Jornal Midiamax