Política

Bernal desconhece e líder da base nega demissão de servidor por reclamar no Facebook

O líder da base na Câmara, vereador Alex do PT, negou hoje (18) que o servidor público Leovaldo Ferraz tenha sido demitido pela Prefeitura de Campo Grande por ter feito reclamação do atendimento do posto Tiradentes no Facebook do prefeito Alcides Bernal (PP). “Não procede. A reclamação dele é normal. Ele foi demitido com outros […]

Arquivo Publicado em 18/02/2014, às 15h55

None
1881359229.jpg

O líder da base na Câmara, vereador Alex do PT, negou hoje (18) que o servidor público Leovaldo Ferraz tenha sido demitido pela Prefeitura de Campo Grande por ter feito reclamação do atendimento do posto Tiradentes no Facebook do prefeito Alcides Bernal (PP).

“Não procede. A reclamação dele é normal. Ele foi demitido com outros oito servidores”, disse Alex. Já Bernal declarou desconhecer o caso e a demissão.

Leovaldo disse que não havia motivos para ele ser demitido e que as crianças até o chamavam de “pai”.

O caso

Leovaldo foi demitido depois de fazer reclamação do atendimento do posto Tiradentes. O servidor público tinha uma consulta no posto agendada para o dia 13 de fevereiro, com uma doutora clínica-geral. Depois de duas horas de espera, o servidor público foi informado de que não seria atendido.

Revoltado, procurou a diretoria do posto, que não estava no local, segundo Leovaldo. “Não tinha ninguém responsável pelo posto naquele momento”, conta. Indignado, postou reclamação no Facebook do Bernal. “Bom dia sr. prefeito! enquanto o sr. participa de inaugurações, a saúde está precária. Estou no ps do tiradentes desde as 06:00”.

No dia seguinte, o servidor público foi ao posto novamente e foi chamada a sua atenção pela clínica-geral, sobre a reclamação na rede social. No início da tarde, Leovaldo foi demitido pela Secretária de Assistência Social (SAS), onde trabalhava há sete meses como educador, em contrato feito pela Seleta, em parceria com a prefeitura.

“Não me explicaram o motivo da demissão. Nem a coordenadora, nem o SAS, ninguém. Só disseram que vou receber certinho o que tenho direito”, conta o servidor, que diz estar “sem rumo” e desacreditado por ter sido demitido depois a reclamação.

Jornal Midiamax