Política

Após culpar sindicato, governo promete liberar salário na 1ª hora de quinta

A assessoria do governo informou que, se o salário fosse liberado, mudaria o desconto do IRRF

Midiamax Publicado em 31/12/2014, às 16h56

None
dinheiro2.jpg

A assessoria do governo informou que, se o salário fosse liberado, mudaria o desconto do IRRF

O governador André Puccinelli (PMDB) descumpriu pela segunda vez a promessa de liberar salário dos servidores antes da virada do ano e culpou o sindicato da categoria por atrasar o pagamento. Apesar disso, garantiu que o dinheiro vai estar na conta na primeira hora do dia 1º de janeiro.

Segundo a assessoria, o governador decidiu não liberar os salários ainda neste mês a pedido do sindicato e por alerta do banco sobre a mudança de alíquota do Imposto de Renda pelo montante recebido em um mês. No caso seriam três salários em dezembro: o pagamento no início do mês, o décimo terceiro e o salário que iriam receber no dia 29.

A reclamação dos servidores ao Jornal Midiamax é pelo fato de ser a segunda vez que Puccinelli promete depositar salário e não cumpre. Primeiro o governador disse que depositaria o salário dia 29, mas divulgou nota dizendo que o salário estaria na conta hoje, o que não aconteceu novamente.

Geralmente o salário é depositado no primeiro dia útil do mês, mas o governador prometeu depositar o salário no dia 29 por vontade própria e não cumpriu. Como não depositou no dia 29, ele chegou a divulgar uma nota, justificando.

Além disso, servidores também reclamaram sobre o empréstimo consignado que não estão conseguindo fazer. Segundo a assessoria, o empréstimo é diretamente ligado ao salário. Então, como não houve liberação do pagamento, automaticamente não é possível realizar o empréstimo.

Entenda o desconto do Imposto de Renda

Para quem ganha até R$ 1.787 não há dedução de imposto. De R$ 1.787 até R$ 2.679 mil o desconto é de 7,5%. A alíquota aumenta para 15% quem recebe até R$ 3.572. O índice superior é de 22,5% para salário de até R$ 4.463. Acima disso, o desconto é de 27%.

Jornal Midiamax