Política

Vereadores que eram dúvida abrem votos e maioria quer comissão processante

A vereadora Rose Modesto (PSDB), o vereador Waldecy Chocolate (PP), Carlão (PSB), Coringa (PSD) e os outros membros do partido já definiram sobre serem a favor ou contra da abertura da comissão processante contra o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal, que acontece nesta terça-feira (8) na Câmara. Único que não quis ainda revelar o […]

Arquivo Publicado em 08/10/2013, às 13h12

None
2100430099.jpg

A vereadora Rose Modesto (PSDB), o vereador Waldecy Chocolate (PP), Carlão (PSB), Coringa (PSD) e os outros membros do partido já definiram sobre serem a favor ou contra da abertura da comissão processante contra o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal, que acontece nesta terça-feira (8) na Câmara.


Único que não quis ainda revelar o voto, Waldecy Chocolate, que iniciou o ano ao lado do prefeito mas que até ontem mantinha relação de estranhamento com o administrador municipal, disse que passou uma noite difícil.


Chocolate é puxado pelos vereadores para conversar, ora pelos membros do PMDB, ora pelos membros do PT. Sob pressão, ele resolveu ficar fora do plenário até o momento da sessão.


Carlão, apontado pela oposição como um dos vereadores que votariam a favor da abertura, diz que votará contra. Ele ainda negocia ser da base aliada ou não de Bernal “É um voto políticoo e tenho o direito de votar que sim ou que não, então eu voto não. Quem tem que investigar o prefeito é o Ministério Público, a CGU, não os vereadores”, opinou.


Coringa (PSD), que era esperança da base para ser mais um aliado do prefeito, disse que ontem conversou com Delei Pinheiro e Chiquinho Telles, também do partido, e que eles decidiram votar a favor da abertura da comissão processante.


Rose Modesto (PSDB) diz estar muito tranquila e convicta e que votará a favor da abertura da comissão. “Voto com o parecer da Procuradoria da Câmara. Hoje não é dia de cassação, hoje vamos ver se abre mais uma  comissão como tantas outras que a Casa tem, para investigar o que já foi investigado há meses”, emendou.

Jornal Midiamax