Política

Vereadores não acreditam em promessa de Bernal e projetam oposição mais forte

Os vereadores da oposição duvidam das promessas do líder do prefeito Alcides Bernal (PP) na Câmara. Alex disse à reportagem do Midiamax que o prefeito está conversando e anunciará, em breve, a ampliação da base de sustentação. Sem revelar nomes, o líder do prefeito informou que o anúncio vai surpreender muita gente. Os vereadores que […]

Arquivo Publicado em 20/07/2013, às 13h57

None
479685707.jpg

Os vereadores da oposição duvidam das promessas do líder do prefeito Alcides Bernal (PP) na Câmara. Alex disse à reportagem do Midiamax que o prefeito está conversando e anunciará, em breve, a ampliação da base de sustentação. Sem revelar nomes, o líder do prefeito informou que o anúncio vai surpreender muita gente.

Os vereadores que hoje fazem oposição ao prefeito ficaram surpresos com o anúncio, mas duvidam que o prefeito conseguirá integrar opositores à base de sustentação. “É tudo falácia. Ele não quer falar nem com a imprensa e vai querer falar com vereador. Foi prefeito eleito com 270 mil votos e não quer falar sobre as coisas que faz. Não vai existir. Isso é joguete para mudar foco”, criticou o vereador Paulo Siufi (PMDB).

O vereador entende que, se ocorrer, o anúncio será de vereadores que já conversam com o prefeito, o que não é surpresa para ninguém. “Surpresa seria se o Mário César (PMDB) fosse anunciado, eu, Jamal (PR), Chiquinho Telles (PSD), Carla Stephanini (PMDB), Vanderlei Cabeludo (PMDB), Flávio César (PTdoB), Edil Albuquerque (PMDB), alguém do PMDB, PR ou PTdoB”, analisou.

O vereador Airton Saraiva (DEM) também afirma que não tem nenhuma conversa com o prefeito e ainda promete uma oposição maior no segundo semestre. “Vou continuar na oposição e serei duro no segundo semestre. Passou o primeiro semestre. Ainda não me viram fazendo oposição. Não mostrei 20% da minha força como oposição”, declarou.

Saraiva explica que deu seis meses para o prefeito tomar “pé” das coisas, mas observou que faltou planejamento. “A prefeitura está totalmente desorganizada, sem planejamento, com secretarias funcionando precariamente. O prefeito não se preocupou em organizar a casa”, criticou.

O vereador garante que não tem interesse em conversar com o prefeito da maneira como as negociações estão sendo feitas. “Não é só ir conversar. Tem que ter abertura para que possa exercer mandato cobrando reivindicações e não conversar sem acontecer nada. O que tenho visto até agora é que não está sendo feito isso nem com quem está ajudando. Tem que ter conversa dentro do que pensa e vê que é bom para Campo Grande. Mas, conversa firme, mostrando planejamento do que vai ser feito. Eu não serei a surpresa. Não converso. Eu tenho lado. Não sou daqueles que vai e volta”, alfinetou.

Atualmente, o prefeito tem oito vereadores declarados na base de sustentação na Câmara: Alex do PT, Zeca do PT, Ayrton do PT, Luiza Ribeiro (PPS), Gilmar da Cruz (PRB), Cazuza (PP) e Waldecy Chocolate (PP). Rose Modesto e João Rocha, ambos do PSDB, chegaram a integrar a base, mas hoje se declaram independentes. O vereador Paulo Pedra (PDT) também tem ajudado a base do prefeito, mas ainda não fez o anúncio oficial.

Jornal Midiamax