Política

Vereadores apostam no bom relacionamento interno para estreitar laços com Bernal

Os vereadores da Câmara de Campo Grande apostam no bom relacionamento criado entre eles na Casa para estreitar os laços e acabar com a mágoa entre alguns vereadores e o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). O vereador Zeca do PT é um dos otimistas. Ele conta que o relacionamento na Câmara é ótimo […]

Arquivo Publicado em 23/01/2013, às 18h03

None
284949759.jpg

Os vereadores da Câmara de Campo Grande apostam no bom relacionamento criado entre eles na Casa para estreitar os laços e acabar com a mágoa entre alguns vereadores e o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). O vereador Zeca do PT é um dos otimistas. Ele conta que o relacionamento na Câmara é ótimo e aposta em uma boa relação de Bernal com os vereadores.

“A Câmara está bastante plural e o Bernal vai ter que se articular respeitando as diferenças. Ele escolheu o Alex (vereador Alex do PT) para ser o líder dele. Foi uma boa escolha. Ele é experiente na Casa, tem jogo de cintura e o desafio de conseguir a harmonia entre a Câmara e o administrador, respeitando a independência”.

Na avaliação de Zeca o gesto do presidente da Câmara, Mário César (PMDB), ao se dispor a ajudar no combate à dengue, demonstra solidariedade, carinho e respeito, mostrando que está pronto para ajudar na governabilidade.

Mário César avalia que o relacionamento entre os vereadores após eleição da Mesa Diretora é excelente e sem nenhuma rusga. O vereador aposta no entendimento com o Executivo. “Vou fazer de tudo para dar condições para o Bernal administrar. Campo Grande é maior do que tudo isso. Estou de braços abertos”, afirmou.

O vereador Ayrton do PT entende que é preciso diálogo e esquecer mágoas. “Nós temos que ser curvar para algumas coisas da vida. Não podemos ter ranço, mágoa”, avaliou o vereador, ressaltando que o prefeito tem que dialogar com a Câmara. “O Mário César está disposto a ajudar. Só com o populismo não se governa. É preciso apoio dos vereadores e a harmonia entre a Câmara e o prefeito tem que existir”, ponderou.

O vereador Eduardo Romero (PTdoB)explica que há um bom relacionamento entre todos os vereadores. Ele entende que a Câmara não deve ser transformada em uma arena para queda de braço, mas sim em um espaço democrático, para aprovação de projetos que atendam a necessidade da população.

“A Câmara não é uma empresa privada e sim um espaço público onde a principal regra é respeitar a sociedade. O diálogo tem que ser respeitoso e harmônico”, opinou. “Daqui a alguns anos o Mário pode não ser o presidente e o Bernal não ser o prefeito e o legislativo e o executivo vão continuar”, acrescentou.

O vereador Elizeu Dionízio (PSL) também aposta no diálogo entre os Poderes. Ele ressalta que os vereadores e os prefeitos foram eleitos para ajudar Campo Grande. O vereador acredita que o tempo da politicagem já passou e que os novos vereadores têm obrigação de fazer uma política diferente e voltada para o cidadão. “Temos que aprovar o que for para benefício da população. A política é feita para discutir ideias”, avaliou.

Atualmente Bernal tem 10 dos 29 vereadores na base de sustentação dele: Rose Modesto (PSDB), João Rocha (PSDB), Zeca do PT, Alex do PT, Ayrton do PT, Valdeci Chocolate (PP), Cazuza (PP), Gilmar da Cruz (PRB), Dr. Jamal (PR) e Luiza Ribeiro (PPS).

Jornal Midiamax