Política

Vereador faz piada com visita de Bernal e gera desentendimento na Câmara

A sessão da Câmara de Campo Grande serviu de palco para nova discussão entre vereadores. Para não perder o costume, de pelo menos um barraco por sessão, os vereadores voltaram a se desentender nesta quinta-feira (27). A polêmica começou quando o vereador Chiquinho Telles (PSD) ironizou a demora do prefeito Alcides Bernal (PP) para visitar […]

Arquivo Publicado em 27/06/2013, às 16h27

None

A sessão da Câmara de Campo Grande serviu de palco para nova discussão entre vereadores. Para não perder o costume, de pelo menos um barraco por sessão, os vereadores voltaram a se desentender nesta quinta-feira (27). A polêmica começou quando o vereador Chiquinho Telles (PSD) ironizou a demora do prefeito Alcides Bernal (PP) para visitar a Câmara.

Irritado com a demora do prefeito, Chiquinho brincou que certa vez o vereador Paulo Pedra (PDT) declarou que Bernal teria que ir de joelhos à Câmara, fazendo uma rápida conclusão. “Da prefeitura até a Câmara de joelhos demora né”, ironizou.

A vereadora Rose Modesto (PSDB) não gostou da brincadeira, avaliando que a fala de Chiquinho não tinha sentido nenhum, e pediu cuidado para os vereadores, dizendo que está cansada de ser motivo de chacota na rua. “Peço que reflitam na hora que vai ao microfone. Gracinha o povo não aguenta mais não”, criticou.

Chiquinho rebateu Rose, dizendo que não tinha entendido porque ela tinha se ofendido, já que na avaliação dele, a fala não prejudicou ninguém. Irritado, o vereador chegou a pedir para a vereadora sair de cima do muro.

Rose pediu a palavra novamente e afirmou que não é mulher de ficar em cima do muro. Ela esclareceu que diante do impasse entre o prefeito e o PSDB, foi a primeira a declarar independência. Ela voltou a pedir cuidado nos discursos, dizendo que são os detalhes que acabam desgastando a Casa.“Muitos de nós somos motivo de chacota. É um momento para rever nossa postura. Infelizmente, quando a imprensa divulga não fala nomes, mas joga toda a Casa”, protestou.

O vereador Carlão (PSB) saiu em defesa de Chiquinho, avaliando que Rose não tem o direito de ficar reprimindo os colegas. Já o vereador João Rocha (PSDB) pediu cuidado, aconselhando os vereadores a evitar o microfone “sagrado” e conversar pessoalmente.

Jornal Midiamax