Política

Uso de programa de rádio por Bernal para atacar Câmara pode causar afastamento

O prefeito é acusado de usar programa de rádio que era dele e agora ficou com o aliado Cazuza (PP) para agredir vereadores e se fazer de vítima para ouvintes. Câmara deve cobrar detalhes sobre quem banca.

Arquivo Publicado em 06/11/2013, às 16h32

None
1390484710.jpg

O prefeito é acusado de usar programa de rádio que era dele e agora ficou com o aliado Cazuza (PP) para agredir vereadores e se fazer de vítima para ouvintes. Câmara deve cobrar detalhes sobre quem banca.

O líder da oposição na Câmara de Campo Grande, vereador Airton Saraiva (DEM), informou que vai pedir providências à Mesa Diretora da Câmara contra os ataques que os vereadores têm sofrido por parte do prefeito Alcides Bernal (PP) durante as participações no programa de rádio que ele comandava e que agora é apresentado pelo vereador Cazuza (PP).

Saraiva acusa o prefeito de usar o programa para tentar induzir a população a acreditar que os vereadores estão tramando um golpe contra ele. Para resolver o problema, ele defende uma atitude tal como a que foi tomada contra a FM UCDB, que acabou substituindo o apresentador acusado de utilizar a rádio educativa para interesses pessoais.

“Ele não pode usar um programa pago, por ele ou por alguém, para incitar a população contra a Câmara. Ele está usando uma rádio para incitar a população e isso é mais perigoso ainda. No desespero, ele está tentando jogar a população contra a Câmara, que precisa tomar providência”, acusou.

Saraiva diz que não é favorável ao afastamento imediato do prefeito, mas é preciso que ele deixe de ter atitudes como as tomadas quando usa a rádio para tentar  prejudicar o trabalho da Câmara. “Não há necessidade de afastá-lo. A não ser que ele esteja utilizando o cargo e a estrutura para ganhar musculatura política. Se fizer isso, ai eu sou favorável ao afastamento para não prejudicar o trabalho da comissão processante”, opinou.

O vereador justifica que atualmente os vereadores não levam em conta o prefeito, mas a cidade, que precisa de ajuda. “Estamos fazendo uma força-tarefa para salvar a cidade. Não discutimos mais o Bernal. Já está provado que ele cometeu vários erros. Agora, temos que pensar em salvar a cidade. Temos que tirar a cidade do buraco. Ela está encaminhando Campo Grande para um colapso”, criticou.

Atualmente, já há na Câmara um pedido para que Bernal seja afastado para não prejudicar o trabalho da Comissão Processante. Ele tem cinco dias para enviar defesa sobre o pedido de afastamento feito por Luiz Pedro Guimarães e Raimundo Nonato. Para afastar o prefeito, entretanto, é preciso redigir um decreto lei a ser votado em plenário pela maioria dos vereadores, o que, segundo estimativas da Comissão Processante, deve acontecer já na semana que vem.

Jornal Midiamax