Política

Trabalhadores ameaçam deixar conselho se Bernal não se retratar de declarações

Insatisfeitos com críticas do prefeito Alcides Bernal (PP), a bancada dos trabalhadores ameaçou, nesta segunda-feira (24), deixar o Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico (Codecon) se o chefe do Executivo não se retratar. Na posse da equipe, na quarta-feira passada (19), Bernal afirmou que o Codecon é um conselho “de faz de conta”. Para reforçar a […]

Arquivo Publicado em 24/06/2013, às 18h38

None
1868540539.jpg

Insatisfeitos com críticas do prefeito Alcides Bernal (PP), a bancada dos trabalhadores ameaçou, nesta segunda-feira (24), deixar o Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico (Codecon) se o chefe do Executivo não se retratar.


Na posse da equipe, na quarta-feira passada (19), Bernal afirmou que o Codecon é um conselho “de faz de conta”. Para reforçar a teoria, ele chegou a dizer que, a partir de agora, o grupo iria se reunir e trabalhar e não fazer aquele esquema “me engana que eu gosto”.


“Foi uma declaração muito infeliz e, se ele não se retratar, a bancada dos trabalhadores pode deixar o conselho”, anunciou o presidente do Sindicado dos Trabalhadores na Movimentação de Mercadorias de Campo Grande (Sintramm), José Lucas da Silva.


A decisão será tirada na primeira reunião do Condecon juntamente com representantes dos Sindicatos dos Comerciários e dos Trabalhadores das Indústrias da Alimentação. Juntas, as três entidades representam mais de 50 mil trabalhadores.


O Codecon, de acordo com José Lucas, analisa processos para empresas se instalarem em Campo Grande. São avaliados, por exemplo, pedidos de redução da carga tributária e de doação de terrenos. Em média, segundo o presidente do Sintramm, são avaliados de 25 a 40 processos em seis meses.


Na gestão de Bernal, o conselho ficou parado até a última quarta-feira, quando ocorreu a posse dos integrantes do Codecon. Na Câmara Municipal, vereadores de oposição afirmaram mais de uma vez que a desativação do conselho atrasou o desenvolvimento da Capital por impedir a instalação de novas empresas.

Jornal Midiamax