Após guardas municipais conseguirem aprovação depois de protestos, professores prometem seguir prefeito até conseguirem vagas.

Quinze dos 281 professores concursados que há um ano aguardam nomeação de Bernal protestaram hoje (16) em frente da Prefeitura de Campo Grande. Depois de falarem com a assessora do prefeito, que apenas prometeu agendar reunião, o grupo decidiu começar a seguir Bernal em sua agenda pública e ir até a casa dele no fim desta tarde, por volta das 17h.

“Vamos segui-lo até conseguir falar com ele, iremos assumir de qualquer jeito”, diz a porta-voz do grupo. Por muitos trabalharem em rede pública e por medo de represálias, os professores optaram por não se identificar. Chegaram a dizer que isto é culpa da índole e da fama do prefeito.

Birra e má vontade

Após os guardas municipais serem aprovados por Bernal neste fim de semana, os professores dizem acreditar que conseguirão a vaga. “Uma hora ele vai ceder. Está sobrando vagas em todas as áreas, tanto é que falaram que será aberto outro concurso ano que vem”, disse um professor.

Os professores também apresentaram provas no Ministério Público Estadual (MPE), publicadas no Diário Oficial. Entretanto, até agora Bernal tem fugido como o diabo foge da cruz. “Ele ainda não chamou a gente por birra, má vontade. Preferiu contratar os temporários por manobra política, para pôr gente dele lá. Vamos ficar na cola dele”, frisou uma professora.

A reportagem tentou entrar em contato com a assessoria da prefeitura, mas não obteve sucesso.

Entenda o caso

Os 281 professores foram aprovados em concurso em dezembro de 2009. O prazo de validade da nomeação é dia 25 de janeiro de 2014. O que deixou os aprovados indignados foi a contratação de 3.585 professores temporários em julho deste ano.

Em caso semelhante, 77 guardas municipais aprovados em concurso realizado em 2009. Eles chegaram a realizar treinamento pago pela prefeitura e só foram nomeados neste fim de semana, depois de muitos protestos e repercussão na imprensa.