Política

Presidente da Fetems desmente Bernal e nega apoio dos sindicalistas ao prefeito

O presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Roberto Botareli, desmentiu a declaração do prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP), que postou em seu Facebook que os sindicalistas estariam apoiando sua gestão. “A população, representada pelos Movimentos Sociais se colocaram como interlocutores para que nossa administração siga em […]

Arquivo Publicado em 09/10/2013, às 14h43

None
927142901.jpg

O presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Roberto Botareli, desmentiu a declaração do prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP), que postou em seu Facebook que os sindicalistas estariam apoiando sua gestão.

“A população, representada pelos Movimentos Sociais se colocaram como interlocutores para que nossa administração siga em frente (…). Recebemos lideranças, que em outras ocasiões nos apresentaram suas necessidades e hoje declaram apoio a nossa administração”, postou Bernal em seu Facebook nesta terça-feira (7).

Segundo o presidente da Fetems, “em nenhum momento foi feita declaração de apoio ao Bernal. Fomos, tanto à Câmara quanto à Prefeitura, cobrar postura dos políticos. A conversa com o Bernal foi a mesma com o Mário César. Pedimos que os políticos acalmem os ânimos para que as gestões possam trabalhar”, declarou.

Botareli ressaltou que a Frente Popular de Defesa à Democracia, formada por membros da CUT (Central Única dos Trabalhadores), MNLM (Movimento Nacional de Luta por Moradia) e da Fetems, quer que as coisas “voltem para os trilhos”.

“Fazer oposição é importante, mas não dá para falar de irregularidades sem comprová-las”, disse o presidente da Fetems. Ele revelou que a Frente tentará fazer mediação para que Bernal e Mário César, presidente da Câmara, conversem antes de abrir votação para comissão processante contra o prefeito.

Os sindicalistas farão reunião na tarde desta quarta-feira (8), onde vão deliberar quando, como e onde Bernal e Mário César poderão conversar. “Todos são seres humanos e pais de família, essa briga tem que acabar. Não quero que seja feita injustiça assim como foi feita com o Mario Cesar, que foi acusado e inocentado recentemente”, finalizou Botareli.

Jornal Midiamax