Política

Presidente da Câmara diz que desorganização impede suplementação maior a Bernal

O presidente da Câmara de Campo Grande, vereador Mário César (PMDB), não acredita que será possível aumentar, para 2014, o percentual liberado para o prefeito Alcides Bernal (PP) realizar suplementações sem autorização da Câmara. Atualmente, o prefeito tem 5% de autorização, mas quer ter o mesmo que Nelsinho Trad (PMDB), superando a casa de 30%. […]

Arquivo Publicado em 04/12/2013, às 10h52

None

O presidente da Câmara de Campo Grande, vereador Mário César (PMDB), não acredita que será possível aumentar, para 2014, o percentual liberado para o prefeito Alcides Bernal (PP) realizar suplementações sem autorização da Câmara. Atualmente, o prefeito tem 5% de autorização, mas quer ter o mesmo que Nelsinho Trad (PMDB), superando a casa de 30%.

“Como está a organização dele? Não. Deste jeito não tem como. Até a suplementação da semana passada tivemos que corrigir. A lei veio toda errada”, explicou o presidente da Câmara. Mário alega que são vários os erros identificados em projetos enviados por Bernal, o que não dá a confiança necessária para esta liberdade à administração.

“Isso é tecnicamente falando. Tem problema no PPA (Plano Plurianual), no orçamento. É questão técnica e não política. O PPA não fala com o orçamento, que não fala com a Lei de Diretrizes Orçamentárias. É uma questão técnica”, detalhou.

Nesta semana o prefeito Alcides Bernal utilizou o programa de rádio do vereador Cazuza (PP) para criticar a Câmara, dizendo que os vereadores deveriam aumentar a suplementação para facilitar a administração. Todavia, os vereadores alegam que não há engessamento, visto que só no final do ano o prefeito precisou de autorização da Casa, o que foi feito imediatamente.

Jornal Midiamax