Política

Para Reinaldo, Bernal recebeu herança de problemas e precisa de tempo para resolver

Reinaldo avalia que Bernal está certo ao mostrar os problemas que herdou da antiga administração para o eleitor ficar a par das dificuldades

Arquivo Publicado em 17/02/2013, às 16h09

None
73357092.jpg

Reinaldo avalia que Bernal está certo ao mostrar os problemas que herdou da antiga administração para o eleitor ficar a par das dificuldades

O deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) saiu em defesa do prefeito Alcides Bernal (PP) e apostou na compreensão do campo-grandense no sentido de dar tempo ao chefe do Executivo para arrumar a casa e começar a implantar suas propostas de campanha.


Dessa forma, Reinaldo avaliou que Bernal está certo ao mostrar os problemas que herdou da antiga administração para o eleitor ficar a par das dificuldades. “O Bernal tem que mostrar os problemas que herdou e acho que a população vai entender”, disse.


O caminho, segundo Reinaldo, é dar tempo para o prefeito arrumar a casa para começar a agir. “Ninguém soluciona tudo em um mês, seis meses, muitas vezes demora até mais de anos para resolver”, comentou.


Quando assumiu pela primeira vez a Prefeitura de Maracaju, Reinaldo lembrou que herdou “uma prefeitura tão em dificuldades” que ficou “um ano sem fazer praticamente nada porque estava arrumando a casa do caos que me entregaram”.


Questionado se o PSDB, no caso de fechar parceria com Bernal, estar pronto para enfrentar a pressão para implantar as propostas de campanha, Reinaldo declarou estar consciente de que “se você está em um grupo e faz parte de uma administração é responsável pelo ônus e pelo bônus”.


Nesta segunda-feira (18), a cúpula tucana irá se reunir com Bernal para discutir o futuro na administração de Campo Grande. O partido quer mais espaço para os aliados antes de assumir responsabilidade com a atuação do prefeito.


Dois tucanos foram escolhidos por Bernal para chefiar a Secretaria de Educação e a Fundação Municipal de Esportes. A cúpula tucana, no entanto, garante que a escolha não passou pelas instâncias partidárias e, portanto, faz parte da cota pessoal do prefeito.

Jornal Midiamax