Política

Para deputado, além de Bernal não trazer inovação está piorando os serviços que já tinham

O presidente regional do PMDB, deputado estadual Junior Mochi, declarou que o prefeito Alcides Bernal (PP), além de não trazer qualquer inovação nos serviços públicos à população, ainda esta piorando os serviços deixados pela antiga administração. Até 2012, a gestão da Capital estava nas mãos do PMDB que ficou a frente da prefeitura por quase […]

Arquivo Publicado em 01/11/2013, às 19h16

None
837529657.jpg

O presidente regional do PMDB, deputado estadual Junior Mochi, declarou que o prefeito Alcides Bernal (PP), além de não trazer qualquer inovação nos serviços públicos à população, ainda esta piorando os serviços deixados pela antiga administração. Até 2012, a gestão da Capital estava nas mãos do PMDB que ficou a frente da prefeitura por quase duas décadas. Mochi foi prefeito de Coxim – distante a 243 km de Campo Grande, por dois mandatos.

Para o deputado, falta a Bernal ação administrativa e o ritmo para conduzir a gestão pública com eficiência. “Quando você vai para o executivo, o que importa para o povo é o resultado de suas ações. Os eleitores esperam que as coisas melhores, que as políticas melhorem. A eleição cria essa expectativa”, explicou.

Mochi diz ainda que o atual prefeito de Campo Grande está piorando tudo o que a gestão de seu correligionário, Nelsinho Trad, deixou. “O problema maior é que ele (Bernal), além de não trazer nenhuma inovação, está piorando o que já tinha. Como é que a população vai aprovar?”, questiona.

Pesquisa realizada pelo Ibrape/Midiamax aponta que para a população de Campo Grande somente a coleta de lixo manteve a qualidade, que, segundo os entrevistados, já era boa na administração do ex-prefeito Nelsinho Trad (PMDB). Foram reprovada área da saúde, assistência social, trânsito, conservação de ruas e avenidas.

O Ibrape realizou 442 entrevistas entre os dias 21 e 24 de outubro, com cidadãos com idade igual ou superior a 16 anos, observando cotas amostrais por sexo, faixa etária, formação escolar, rendimento mensal, religião, atividade e localização geográfica ( Centro, Norte, Sul, Leste e Oeste). A margem de erro é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos.

Jornal Midiamax