Política

Lideranças ‘pró-Bernal’ continuam na Câmara e aguardam reunião com presidente

Lideranças dos protestantes participaram da campanha eleitoral de Bernal em 2012, mas continuam afirmando que ocupação não é manobra para salvar prefeito de comissão processante.

Arquivo Publicado em 08/10/2013, às 18h14

None
1050946577.jpg

Lideranças dos protestantes participaram da campanha eleitoral de Bernal em 2012, mas continuam afirmando que ocupação não é manobra para salvar prefeito de comissão processante.

Após almoçarem, por volta das 14h30 desta terça-feira (8), no plenário da Câmara Municipal, os manifestantes apontados como ‘pró-Bernal’ que ocuparam o prédio e impediram a votação que poderia criar uma comissão processante contra o prefeioto continuam de prontidão na sede do Legislativo.

Eles aguardam para conversar com o presidente da Casa, vereador Mario Cesar (PMDB) a qualquer momento, e articulam seguir para o Paço Municipal depois da reunião.

Segundo lideranças que estão no local, os manifestantes fazem parte de uma ‘Frente Popular em Defesa da Democracia’, formada por membros da Fetems (Federação dos Trabalhadores de Mato Grosso do Sul) e do Movimento Nacional de Luta por Moradia (MNLM).

Porém, pela manhã alguns revelaram que o prefeito Alcides Bernal (PP) teria, supostamente, conversado com os manifestantes na semana passada e prometido a “democratização da distribuição de casas populares”.

Com alto falantes, eles clamavam por moradia e cobravam promessas. Após uma batida do Conselho Tutelar no local, eles ainda decidem se vão até à Prefeitura ou se apenas uma comissão segue até o local, já que crianças fazem parte do grupo.

Segundo Abílio Borges, que se apresentou como coordenador do Movimento Nacional de Luta por Moradia (MNLM), também ainda está sendo discutido se eles permanecem de plantão na Câmara sem horário definido para desocupar, em forma de protesto contra a “guerra política”.

Abílio tem laços políticos com Bernal. Nas últimas eleições, ele participou da propaganda eleitoral de Bernal na televisão. Por isso, é apontado peça oposição como um dos organizadores da manifestação que seria “pró-prefeito”, supostamente em troca de promessas por moradias populares.

Os manifestantes se dizem da Vila Dedé, da favela Cidade de Deus e do bairro Santa Luzia.

Jornal Midiamax