Política

Em ritmo de férias, vereadores abandonam discursos e fazem sessão relâmpago

Nesta semana, as sessões, que só acontecem três vezes por semana, foram encurtadas e não passaram das 11 horas da manhã.

Arquivo Publicado em 05/12/2013, às 15h20

None
1323804105.jpg

Nesta semana, as sessões, que só acontecem três vezes por semana, foram encurtadas e não passaram das 11 horas da manhã.

Os vereadores estão dando sinais de que esperam ansiosamente o recesso de fim de ano. Nesta semana, as sessões, que só acontecem três vezes por semana, foram encurtadas e não passaram das 11 horas da manhã.

Nesta quinta-feira (5) o presidente da Câmara em exercício, vereador Flávio César (PTdoB), precisou chamar os colegas quatro vezes para conseguir quórum para a sessão. Deu tempo, inclusive, dele pedir para escoteiros que visitaram a Casa subirem até a Mesa Diretora para fazer uma foto com ele.

Iniciada a sessão, os vereadores seguiram o trâmite normal até a palavra-livre, quando após acordo entre lideranças, decidiram que ninguém ocuparia os 60 minutos destinados aos vereadores por dia. O vereador Coringa (PSD) foi o único que não mostrou tanto contentamento com a decisão, já que pretendia protestar, novamente, a favor dos guardas municipais que passaram no concurso e não foram chamados.

Os vereadores alegam que estão suprimindo a palavra-livre para colocar a pauta em dia, mas a julgar por hoje, se ocupassem o tempo de direito, sairiam da Câmara no máximo ao meio-dia, visto que a sessão começou 9h30 e terminou antes das 11 horas.

Na sessão de quarta-feira (4) a presidente em exercício, Rose Modesto (PSDB), recebeu vários elogios de vereadores e funcionários por conseguir encerrar a sessão antes das 11 horas. Hoje, os vereadores mostraram que gostaram da ideia de ir para casa mais cedo, encerrando novamente antes das 11 horas.

A sessão mais curta pode complicar e ao mesmo tempo facilitar a vida de alguns vereadores que costumam chegar atrasados a sessão. Quem chega às 11 horas, por ter programa de rádio, por exemplo, pode chegar na hora que o presidente estiver convocando para a próxima sessão, encurtando a jornada.

Jornal Midiamax