Política

Constrangido, até vereador da base de Bernal defende exoneração de secretário

Os vereadores da base de sustentação estão encontrando dificuldade para defender a permanência do secretário de Receita, Gustavo Freire, no cargo. Ainda que queiram defender, os aliados do prefeito Alcides Bernal (PP) não conseguem esconder o constrangimento com a permanência no cargo após demissão dele do Ministério da Fazenda, por improbidade administrativa. O vereador Gilmar […]

Arquivo Publicado em 04/11/2013, às 11h55

None
1739230459.jpg

Os vereadores da base de sustentação estão encontrando dificuldade para defender a permanência do secretário de Receita, Gustavo Freire, no cargo. Ainda que queiram defender, os aliados do prefeito Alcides Bernal (PP) não conseguem esconder o constrangimento com a permanência no cargo após demissão dele do Ministério da Fazenda, por improbidade administrativa.

O vereador Gilmar da Cruz não esconde o receio ao comentar o caso, pede um minuto para pensar, mas em seguida diz que está esperando a decisão do prefeito. Indagado se concorda ou não com a permanência, o vereador diz que está do lado das coisas certas e acaba deixando escapar a opinião pessoal.

“Se já foi declarada demissão dele, somos a favor que demita ele e coloque outra pessoa lugar. Mas, eu vou esperar a decisão que o prefeito vai tomar. Se demiti-lo, ‘ok’. Se não demitir, vamos conversar com a base para ver qual decisão irá tomar”, justificou.

Base

Apesar de votar favorável ao prefeito na Câmara, o vereador diz que o partido não está se expondo ao apoiar a permanência do secretário demitido pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. “O partido tem sido coerente até agora nas suas decisões. Até então, estamos com o prefeito, mas tudo pode acontecer. Estamos esperando a concretização destes fatos que estão acontecendo na prefeitura para tomar qualquer decisão”, explicou.

Gilmar afirma que o partido estará junto com o prefeito Alcides Bernal enquanto não tiver nada que o desabone. Porém, se surgir provas de irregularidades, afirma que não continuará como base. “Claro que não vamos ficar ao lado do lado de um governo que, de repente, está tomando decisões que o partido não aprova”, concluiu.

Jornal Midiamax