Política

Com liminar, ex-secretário de Bernal demitido por corrupção segura cargo na Receita Federal

Gustavo Freire, ex-secretário de Campo Grande nomeado por Alcides Bernal, conseguiu uma liminar para se manter no cargo de auditor fiscal da Receita Federal até o fim do julgamento. A decisão do Superior Tribunal de Justiça foi proferida no dia 13 de dezembro pelo ministro relator Napoleão Nunes Maia Filho. Freire ocupava o cargo de […]

Arquivo Publicado em 17/12/2013, às 12h58

None
1392170955.jpg

Gustavo Freire, ex-secretário de Campo Grande nomeado por Alcides Bernal, conseguiu uma liminar para se manter no cargo de auditor fiscal da Receita Federal até o fim do julgamento.


A decisão do Superior Tribunal de Justiça foi proferida no dia 13 de dezembro pelo ministro relator Napoleão Nunes Maia Filho.


Freire ocupava o cargo de Secretário Municipal de Receita e de Governo para Bernal e foi exonerado após pressão política com a demissão dele pelo ministro Guido Mantega por atos de improbidade administrativa e por valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem em detrimento da dignidade da função pública no último dia 31 de outubro.


Com a demissão, Gustavo Freire também estava impedido de retornar ao serviço público federal.


Instável em cargo público


A sustentação da defesa de Gustavo Freire foi baseada em uma brecha, que anulou todo o processo de demissão. Segundo consta na alegação, fazia parte da comissão processante do Processo Administrativo Disciplinar um funcionário que não era estável em cargo público, retirando a validade do procedimento que culminou na demissão do supersecretário de Bernal enquanto funcionário público federal.


A demissão foi considerada ilegal pelo Superior e Gustavo Freire recolocado ao cargo até o final do julgamento, a fim de trabalhar e não estar mais privado dos “vencimentos necessários ao sustento próprio e de sua família”.

Jornal Midiamax