Política

Bernal reúne vereadores para chegar a 18 aliados e aprovar reforma administrativa

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), se reuniu com quatro vereadores no fim de semana para tentar conseguir mais aliados para a base de sustentação na Câmara de Campo Grande. O encontro aconteceu no sábado (16) no Paço Municipal, onde Bernal recebeu os vereadores Paulo Pedra (PDT), Alceu Bueno (PSL), Edson Shimabukuro (PTB) […]

Arquivo Publicado em 18/02/2013, às 11h29

None
214164191.jpg

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), se reuniu com quatro vereadores no fim de semana para tentar conseguir mais aliados para a base de sustentação na Câmara de Campo Grande. O encontro aconteceu no sábado (16) no Paço Municipal, onde Bernal recebeu os vereadores Paulo Pedra (PDT), Alceu Bueno (PSL), Edson Shimabukuro (PTB) e Carlão (PSB).

A conversa teve por objetivo garantir o diálogo entre Câmara e o Poder Executivo, para que confrontos não atrapalhem a administração. Bernal precisa conquistar pelo menos 19 vereadores (dois terços) para conseguir fazer projetos tramitarem em regime de urgência na Casa. Estas assinaturas são necessárias, por exemplo, para que o prefeito consiga aprovar, rapidamente, uma reforma administrativa, já anunciada. A reforma tem como principal objetivo enxugar a máquina, reduzindo gastos. Caso não consiga regime de urgência, Bernal pode levar até três meses para aprovar uma reforma na Casa.

O vereador Carlão avalia que a conversa foi bastante produtiva e significa um começo para uma boa relação com o prefeito. “A gente que representa o povo, como eu, que praticamente nasci em uma favela, tem que lutar pela governabilidade. Ele precisa de 19 vereadores. O PSB não ocupa cargo no governo de André Puccinelli (PMDB) e também não quer cargo. O PSB quer ajudar a administração”.

Carlão disse que está livre para criticar o que estiver errado e elogiar no que for preciso. Todavia, garantiu a Bernal que ele pode contar com a assinatura dele para que projetos tramitem em regime de urgência. “Não posso votar contra uma reforma para fazer enxugamento da máquina”, explicou. Caso consiga 19 assinaturas para que projetos tramitem em regime de urgência, Bernal precisará de 15, metade mais um, para que o projeto seja aprovado.

O vereador Edson Shimabukuro explica que no encontro ficou definido que os vereadores vão lutar para aprovar o que for importante para o crescimento de Campo Grande. Shimabukuro admite que hoje há uma oposição direta a Bernal na Câmara, mas entende que é possível criar um diálogo e fazer com que tudo fique bem.

“O prefeito quer garantir a governabilidade e disse que aos poucos vai chegar a todos. O atrito não é bom para ele e nem para a Câmara. Dissemos a ele que não vamos criar obstáculos e ele garantiu que vai ajudar os vereadores a fazerem um bom mandato. Ficamos de conversar mais vezes”, explicou.


Atualmente, Bernal conta com nove vereadores na base de sustentação: Valdeci Chocolate (PP), Cazuza (PP), Rose Modesto e João Rocha, do PSDB, Gilmar da Cruz (PRB), Luiza Ribeiro (PPS), Zeca do PT, Ayrton do PT e Alex do PT. Além de Bernal e os vereadores, estavam presentes o líder do prefeito na Câmara e a vereadora licenciada e secretária de Assistência Social, Thais Helena (PT).

Jornal Midiamax