O prefeito Alcides Bernal (PP) criticou as insinuações do presidente da Câmara Municipal de Campo Grande Mario Cesar de que teria conseguido se livrar da cassação, depois de ter nomeado o filho do desembargador João Batista da Costa Marques, vice-presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS), para um cargo na prefeitura.

João Batista da Costa Marques foi o desembargador que concedeu liminar suspendendo a votação ontem (27). Costa Marques havia derrubado a decisão da colega plantonista e também desembargadora Tânia Garcia de Freitas Borges, que havia liberado a sessão que votaria o pedido de cassação. Mas, após que os vereadores conseguiram derrubar a decisão, o desembargador voltou a derrubar a liminar e manteve o processo parado.

Ao criticar a decisão do desembargador, Mario Cesar não quis se comprometer. “Não podemos fazer nada, mas apresentamos os fatos”, afirmou o presidente sobre a nomeação do filho do desembargador.

Mas, pontuou: primeiro é a foto de todos juntos e depois essa nomeação. A declaração foi dada sobre a foto que circula nas redes sociais uma foto onde aparecem juntos o secretário de Governo da Prefeitura de Campo Grande, Pedro Chaves, Bernal, o secretário municipal de Educação, José Chadid, e o desembargador João Batista.

Sobre as declarações, Bernal disse achar um absurdo Mario Cesar querer atacar o Tribunal de Justiça mas que não queria entrar nessa ‘seara’. “Demonstração de falta de respeito com o Judiciário. Se ele achar que um desembargador vai deixar de fazer justiça para beneficiar um filho? Ele está lá desde 2007. É subestimar a inteligência da imprensa e da população”, criticou.

Mais cedo, em nota de esclarecimento via assessoria de comunicação, a Prefeitura de Campo Grande declarou que o arquiteto Rubens Moraes da Costa Marques, foi nomeado em 2007 e está no cargo por “conhecimento notório na área”.