Política

Bernal diz que Comissão Processante é ilegal e reafirma que sofre perseguição

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal, afirmou há pouco que a Comissão Processante, que apurava supostas irregularidades cometidas pela administração dele, tem “um monte de ilegalidades” e motivações políticas. A investigação está interrompida por decisão da Justiça. A declaração foi feita à imprensa, na Anoreg, em um evento do PT. “Só a própria Câmara […]

Arquivo Publicado em 07/12/2013, às 14h30

None
2033614668.jpg

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal, afirmou há pouco que a Comissão Processante, que apurava supostas irregularidades cometidas pela administração dele, tem “um monte de ilegalidades” e motivações políticas. A investigação está interrompida por decisão da Justiça. A declaração foi feita à imprensa, na Anoreg, em um evento do PT.


“Só a própria Câmara pode dar a solução para este problema, reconhecendo os vícios de fora. Há um monte de ilegalidade. A Câmara deveria reconhecer isso e deixar as questões políticas eleitorais para o passado”, disse Bernal.


Para ele, o fim da investigação “só depende de alguns vereadores”, mas disse não ter pressa para resolver a questão. “Não estou apressado, sou um cara de paz”, disse.


Bernal é suspeito de irregularidades envolvendo contratos da prefeitura e licitações. O prefeito seria o próximo a depor na Comissão, mas conseguiu na Justiça uma decisão interrompendo os trabalhos. A Câmara tenta reverter a decisão.

Jornal Midiamax