Política

Após semestre de derrotas, Bernal promete alianças surpreendentes na Câmara

Para evitar atropelos no segundo semestre, quando tem pela frente a elaboração do Plano Plurianual e da Lei Orçamentária Anual, o prefeito está correndo atrás do prejuízo para construir uma base.

Arquivo Publicado em 20/07/2013, às 12h18

None
468303115.jpg

Para evitar atropelos no segundo semestre, quando tem pela frente a elaboração do Plano Plurianual e da Lei Orçamentária Anual, o prefeito está correndo atrás do prejuízo para construir uma base.

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), pediu sigilo absoluto, mas está conversando com alguns vereadores para tentar evitar derrotas como as do primeiro semestre, onde demonstrou fragilidade na Câmara. No primeiro semestre, Bernal vetou oito projetos da Câmara, um veto foi mantido, um está em tramitação e seis foram rejeitados, obrigando-o a cumprir. Os vereadores também não se intimidaram e aproveitaram a maioria para, por exemplo, fazer várias emendas e dar aumentos significativos a servidores. Sem ter o que fazer, o prefeito acabou recorrendo a Justiça para tenta derrubar o que foi definido pela Câmara.

Para evitar atropelos no segundo semestre, quando tem pela frente a elaboração do Plano Plurianual e da Lei Orçamentária Anual, o prefeito está correndo atrás do prejuízo para construir uma base. O líder de Bernal na Câmara, Alex do PT, está confiante na virada e, depois de lutar quase que sozinho frente à uma oposição devastadora, promete surpresas.

“Há uma movimentação e o segundo semestre terá outra cara. Muita gente conversando no sentido de integrar a base. Pessoas de peso na política e que não são coadjuvantes. Lideranças expressivas e que marcam o ritmo da política municipal. O prefeito pediu sigilo absoluto e qualquer declaração pode colocar em risco. Mas, teremos novidades interessantíssimas e surpreendentes em termos de composição tanto na Câmara quanto na equipe de governo”, detalhou.

Esta não é a primeira vez que Alex e o prefeito anunciam conversas para ampliar a base. Porém, após vários anúncios, o prefeito só conseguiu desintegrar alianças, fazendo com que os dois vereadores do PSDB anunciassem independência. No final do primeiro semestre, o prefeito conseguiu apenas um reforço, com a chegada de Paulo Pedra (PDT), podendo dizer que tem oito vereadores na base de sustentação que já teve nove integrantes.

Bernal chegou a ter um grupo de independentes para tentar ajudá-lo, mas não tomou iniciativa e o grupo, composto por Paulo Siufi (PMDB), Alceu Bueno (PSL), Dr. Jamal (PR), Carlão (PSB), Edson Shimabukuro (PTB) e Pedra acabou se desfazendo em poucos dias. A base procurou o prefeito e o aconselhou a correr atrás do PDT, PSL, PTB e PSB, que julgam ser os mais interessados em compor e ele prometeu se movimentar. Porém, sem citar nomes, Alex diz que o prefeito foi além dos vereadores já cobiçados, revelando que tem muita gente conversando.

“Tem outras pessoas. Durante o primeiro semestre tivemos um primeiro momento com muita dificuldade, uma oposição radicalizada e todos perceberam que perdeu o Executivo e o Legislativo. As brigas foram, de certa forma, inconvenientes. Percebemos que a divergência pode ser resolvida dentro de outro âmbito.No segundo semestre, com amadurecimento e visão de que foi derrota para os dois, podemos construir governabilidade dentro desta nova fase do Legislativo. Não vou anunciar para não atrapalhar a costura que está sendo feita. Mas, agora é só oficializar o convite e toda a imprensa tomará conhecimento do que foi construído”, concluiu.

Jornal Midiamax