Política

Aliada de Bernal defende saída de secretário demitido, mas também crítica nomeações de Puccinelli

A vereadora Luiza Ribeiro (PPS) defende a saída de Gustavo Freire do cargo de secretário de Receita da administração de Alcides Bernal (PP). Autora da Lei da Ficha Limpa para cargos públicos em Campo Grande, ela lembra que o caso não se enquadra na lei, mas entende que o mais aconselhável seria a demissão. “Quanto […]

Arquivo Publicado em 01/11/2013, às 14h02

None
3540893.jpg

A vereadora Luiza Ribeiro (PPS) defende a saída de Gustavo Freire do cargo de secretário de Receita da administração de Alcides Bernal (PP). Autora da Lei da Ficha Limpa para cargos públicos em Campo Grande, ela lembra que o caso não se enquadra na lei, mas entende que o mais aconselhável seria a demissão.

“Quanto a minha opinião geral, para ocupação de cargos, especialmente na gestão de recursos públicos, tem que ter a maior lisura possível. O secretário tem que avaliar se permanece ou não, sabendo que esta é uma secretaria importantíssima no contexto administrativo municipal”, avaliou.

Questionada se não caberia ao prefeito demitir o secretário, a vereadora disse que a avaliação deve partir primeiro do próprio servidor e depois de Bernal. “Eu defendo que esteja a frente dos cargos públicos as pessoas com a melhor conduta que se possa ter. Não pode ter pessoas que estão sendo processadas. Aplica-se por analogia, eu acho”, opinou.

A vereadora aproveitou para criticar as nomeações feitas pelo governador André Puccinelli (PMDB). Ela lembra que ele aprovou a Lei da Ficha Limpa e da transparência, mas continua fazendo nomeações. “Contrata gente que o serviço a gente nunca viu fazer. Indicou agora um cara com bloqueio de bens pela Justiça. Entendo que pessoas com qualquer problema de ordem jurídica ou de administração de recursos não devem ocupar cargos públicos”, analisou.

Luiza disse ainda que é contra as nomeações políticas da forma como está sendo feita e considera o ato um abuso do dinheiro público. “É recurso público utilizado para acordo político e não faz bem. Nós precisamos tanto de recursos para outras utilidades, inclusive para a instalação da delegacia da mulher 24 horas por dia”, criticou.

Jornal Midiamax