Política

Zeca chama Puccinelli de coronel e o acusa de atentar contra a democracia

Em entrevista, Zeca sugeriu que a oposição se reúna para articular um grande movimento de basta e exige uma posição da Justiça Eleitoral sobre o assunto.

Arquivo Publicado em 24/08/2012, às 17h16

None

Em entrevista, Zeca sugeriu que a oposição se reúna para articular um grande movimento de basta e exige uma posição da Justiça Eleitoral sobre o assunto.

Por dentro do debate eleitoral da oposição, que discute vídeo que revela coação eleitoral do governador André Puccinelli (PMDB), sobre servidores para eleger Edson Giroto (PMDB) e candidatos de sua coligação, o ex governador Zeca do PT alegou que o comportamento é o mesmo de um ‘coronel de 50 anos atrás nesse sertão do Mato Grosso, que determinava o voto de cada um dos seus empregados’.

“Até quando isso irá acontecer, o governador intimidando e constrangendo pai e mãe de família para dizer em quem vota em quem. É algo muito agressivo contra o cidadão e temos que exigir da Justiça Eleitoral de Mato Grosso do Sul, que sempre foi conivente com André, que tome uma posição desta vez”, disparou Zeca. “É um atentado contra a democracia e contra o direito do sigilo do voto”, emendou.


O petista também rebateu crítica de que adotaria a mesma prática em sua gestão. “Com isso, o governador critica a oposição e tenta desviar o foco, mas isso é de uma canalhice própria de quem tenta de tudo para ganhar o processo de compra de voto”, concluiu Zeca do PT.

Jornal Midiamax