Política

Youssif diz que PMDB perdeu espaço e precisa se organizar para ter chances em 2014

Pouco antes de entrar para reunião sobre o futuro do PMDB, o ex-deputado estadual Youssif Domingos alertou que o partido perdeu espaço em Mato Grosso do Sul e não pode se dar ao luxo de deixar para discutir a sucessão estadual em véspera de eleição. Ele defendeu a definição de um projeto claro para 2014 […]

Arquivo Publicado em 07/12/2012, às 12h56

None
2123569238.jpg

Pouco antes de entrar para reunião sobre o futuro do PMDB, o ex-deputado estadual Youssif Domingos alertou que o partido perdeu espaço em Mato Grosso do Sul e não pode se dar ao luxo de deixar para discutir a sucessão estadual em véspera de eleição. Ele defendeu a definição de um projeto claro para 2014 a fim de garantir tempo suficiente para o partido se recompor.


“O recado das urnas foi duro para achar que é cedo para discutir 2014. Hoje, com exceção de Três Lagoas, o PMDB não tem espaço”, declarou Youssif fazendo menção ao resultado das eleições municipais nos cinco principais colégios do Estado, que representam em torno de 50% do mapa eleitoral.


“Não dá para construir projeto político e de governo em véspera de eleição”, emendou o ex-deputado para reforçar a sugestão pela definição antecipada das metas do PMDB. Youssif quer saber, por exemplo, se o partido lançará realmente candidato à sucessão do governador André Puccinelli (PMDB) e qual será o candidato.


Por enquanto, os dois assuntos dividem os peemedebistas. Alguns setores defendem a reprodução da aliança nacional com o PT e o consequente apoio à pré-candidatura do senador Delcídio do Amaral (PT). Entre os que preferem candidatura própria, uma parte quer o prefeito Nelsinho Trad na disputa e a outra a vice-governadora Simone Tebet.


Eleição interna


Antes disso, o partido se esforça para contornar a disputa pela sucessão de Esacheu Nascimento no comando estadual do PMDB. Ele insiste na reeleição, mas a cúpula não aceita sua recondução. Neste momento, Youssif e os deputados estaduais, Júnior Mochi e Carlos Marun, tentam convencer Esacheu a recuar em reunião no diretório estadual. 

Jornal Midiamax