Política

Vereadores aprovam CPI que vai investigar possível desvio de dinheiro da Prefeitura de Paranaíba

Por seis votos a dois, a Câmara Municipal de Paranaíba aprovou na noite de ontem (13) a abertura de uma CPI (Comissão de Inquérito Parlamentar) para investigação do caso onde a Prefeitura de Paranaíba está sendo acusada de desviar dinheiro por meio de notas frias.  A iniciativa da Câmara partiu após receber um ofício expedido […]

Arquivo Publicado em 25/08/2012, às 14h45

None
1717792670.jpg

Por seis votos a dois, a Câmara Municipal de Paranaíba aprovou na noite de ontem (13) a abertura de uma CPI (Comissão de Inquérito Parlamentar) para investigação do caso onde a Prefeitura de Paranaíba está sendo acusada de desviar dinheiro por meio de notas frias. 

A iniciativa da Câmara partiu após receber um ofício expedido pelo Ministério Público Estadual, onde havia a exigência de que o Legislativo procedesse com uma investigação paralela, sob pena de sanções penais, civis e/ou administrativas.

O plenário da Câmara estava totalmente tomado, inclusive com pessoas na parte de cima, algumas sentadas no chão e outras em pé, esperando a votação da abertura de CPI. Antes, porém, alguns vereadores emitiram sua opinião sobre essa instalação. Cartazes e faixas faziam menção à CPI, alguns diziam “fora quadrilha nota fria”, “fora ladrões” e “CPI sim”. 

O vereador Andrew Robalinho (PMDB), declarou que há a necessidade de CPI e ponderou que as investigações devem ocorrer para que os culpados sejam punidos, já que as evidências apontam visível corrupção. “Tem muitos presentes com posses aqui, mas tenho certeza que ninguém aqui anda com R$ 22 mil no bolso”, disse Andrew fazendo referência ao dinheiro encontrado na casa do tesoureiro da Prefeitura, Bruno Garcia.

O vereador foi bastante aplaudido após seu discurso. Quem não estava nem um pouco feliz, foi o vereador da base do prefeito, Maycol Doido (PDT). Maycol foi vaiado por diversas vezes, após chamar a CPI de eleitoral e chamar alguns presentes de puxa-saco. 

Por fim, Maycol atacou o vereador Jalmir Modesto, dizendo que ele nunca falar durante os três anos e meio de mandato. Após atacar a CPI e discursar atacando o candidato Diogo Tita (PPS), o vereador finalizou seu discurso e foi vaiado novamente pelo público presente.

Jalmir justificou seu voto favorável à abertura de CPI, e aproveitou a oportunidade para responder Maycol, dizendo que ele não passava de um “papagaio do prefeito”. Desta vez, os presentes aplaudiram Jalmir. Maycol subiu novamente à tribuna, dizendo que não precisava de aplausos dos presentes que sua resposta seria dada no dia 7 de outubro. Maycol insinuou também que Braquiara estaria ‘eleito’. “O povo já decidiu”, disse.

Na hora da votação: Fredson Freitas (PSDB), Andrew Robalinho (PMDB), Damião Martins Ferreira (PRTB), Maria Eugênia Alves De Assis (DEM), Marcos Antônio Pereira Magalhães (PSDB) e Jalmir Modesto (PMDB) foram a favor da criação da CPI, apenas Maycol Doido (PDT) e Gerônimo Carlos da Silva (Geromão – PR) foram contra CPI. Nesses casos o presidente do Legislativo, José Souto Silva (Zé Carioca – PSDB) não vota, a menos que haja empate.

Jornal Midiamax