Política

Siufi cobra presença de Bernal para colocar Câmara nos trilhos

O presidente da Câmara de Campo Grande, Paulo Siufi (PMDB), cobrou a presença do prefeito eleito, Alcides Bernal (PP), na Câmara Municipal. Siufi entende que Bernal precisa balizar os vereadores sobre votações na Casa. Para ele, o congelamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) ocorreu por falta de diálogo. O vereador entende que o atual […]

Arquivo Publicado em 14/12/2012, às 12h18

None
206273761.jpg

O presidente da Câmara de Campo Grande, Paulo Siufi (PMDB), cobrou a presença do prefeito eleito, Alcides Bernal (PP), na Câmara Municipal. Siufi entende que Bernal precisa balizar os vereadores sobre votações na Casa. Para ele, o congelamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) ocorreu por falta de diálogo.

O vereador entende que o atual prefeito, Nelsinho Trad (PMDB), e o futuro, Alcides Bernal, têm que deixar o palanque eleitoral de lado e se encontrar. “É hora de parar com palanque eleitoral e descer do pedestal para que os vereadores possam colocar o trem no trilho, porque está desgovernado e fica sem condições de governar”, avaliou Siufi, depois que a Câmara aprovou o congelamento do IPTU.

A comissão de transição entre os governos de Nelsinho e Bernal já anunciou que só se reunirá novamente depois que os prefeitos, atual e eleito, se encontrarem. Porém, a tão sonhada reunião parece longe de acontecer e a briga já foi parar até em notícias pagas em jornais. Primeiro Bernal reclamou das licitações de última hora e da falta de vontade da comissão de Nelsinho. No outro dia, com outra nota paga, Nelsinho retrucou, dizendo que não está negando informação e que Bernal não lhe procura.

A reunião entre Nelsinho e Bernal já tem até pauta, definida pela própria equipe de transição. Entre os assuntos estão os solicitados por Nelsinho: uniforme e kit escolar; salário e assuntos relacionados a professores; licitações em curso; convênios, especificadamente os firmados com o MAPA/Frigoríficos (inspeção sanitária); operação de crédito PNAFM; assuntos da secretaria de Assistência Social; Santa Casa e prédio da Câmara.

A equipe de Bernal fez outras solicitações e pediu para que fosse incluída na agenda a dengue; enchentes; transmissão do cargo de prefeito (custos e cerimonial); gestão da comunicação social; aluguel do prédio da Câmara Municipal; contrato com a empresa Águas de Campo Grande; histórico da demanda de remédios de janeiro a julho de 2012; demonstrativo de impacto dos aumentos de pessoal concedidos em dezembro de 2012; políticas aplicadas no primeiro quadrimestre de 2012; relatórios gerenciais dos resultados e ações em curso de combate a dengue; políticas preventivas e corretivas de emergência para o início do período chuvoso e a agenda crítica com informações pontuais relevantes e essenciais para os primeiros dias de governo.

Jornal Midiamax