Política

Puccinelli chama vereadores de Amambai de ‘ladrão’ e Câmara reage

O pronunciamento do governador André Puccinelli (PMDB) durante um comício, realizado na noite de quinta-feira (23) em Amambai, gerou revolta e foi tema de debate dos vereadores na tribuna, na sessão da Câmara Municipal desta segunda-feira (27). No comício, realizado pela coligação “União, Trabalho e Progresso”, que segundo os organizadores reuniu cerca de três mil […]

Arquivo Publicado em 28/08/2012, às 17h49

None
141575979.JPG

O pronunciamento do governador André Puccinelli (PMDB) durante um comício, realizado na noite de quinta-feira (23) em Amambai, gerou revolta e foi tema de debate dos vereadores na tribuna, na sessão da Câmara Municipal desta segunda-feira (27).


No comício, realizado pela coligação “União, Trabalho e Progresso”, que segundo os organizadores reuniu cerca de três mil pessoas, o governador teria afirmado que “na Câmara de Amambai havia dois vereadores ladrão do dinheiro do povo”.


Outra conotação de Puccinelli que soou como insulto a vereador de Amambai foi frase com os dizeres “perdoe os britos, eles não sabem o que fazem”. A fala indignou o vereador Valter Brito da Silva (PSD), que é oposição declarada ao governo estadual na Câmara de Amambai.


Ataques repercutem na cidade


Os pronunciamentos do chefe de Estado foram assunto de debates em rodas políticas da cidade no final de semana e geraram indignação em alguns parlamentares que usaram a tribuna na Câmara para expor seus descontentamentos e defender o Poder Legislativo Municipal, em Amambai.


O vereador Cristino Toledo (PDT), que também é advogado e presenciou o pronunciamento do governador, ressaltou na tribuna que “Puccinelli é sim uma liderança política do Estado, tanto é que chegou ao cargo de governador, mas demonstra desequilíbrio em alguns posicionamentos, onde profere frases e palavras inadequadas para um chefe de Estado, que acaba gerando polêmica e revolta em setores da sociedade”.


O vereador lembrou outros pronunciamentos nos quais o governador também acabou se envolvendo em embates com servidores públicos estaduais, profissionais de educação e até mesmo com um Ministro do Governo Federal por conta de palavras e frases chulas. “O governador deveria ter citado o nome dos vereadores ladrões que ele afirma existir”, acrescentou Toledo.


Luciney Bampi, vereador em Amambai pelo PV, ressaltou que ao invés de vir ao município para desacatar e acusar vereadores, Puccinelli deveria trazer as ações que prometeu durante sua campanha eleitoral e não cumpriu.


Como exemplo, ele citou o “anel viário”, o prédio próprio da Escola Dom Aquino Corrêa, resolver problemas como o prédio da Agenfa, que segundo o vereador está em péssimas condições, solucionar a falta de viatura de combate a incêndio do Corpo de Bombeiros de Amambai e resolver a questão da Rodovia “Guaira-Porã”, que também está em estado precário de conservação.


Câmara vai tomar providências, diz presidente


Segundo o presidente da Câmara Municipal de Amambai, vereador Roberto Rojo Rodrigues, o “Roberto Protético” (PSD), por não citar nomes, as acusações de André Puccinelli atingiram todos os vereadores que compõe a atual legislatura em Amambai e a Casa de Leis vai tomar as providências cabíveis em relação à questão.


De acordo com o presidente, todos os vereadores que compõe a atual legislatura no município cumprem à risca suas obrigações como legisladores, tem compromisso com Amambai e sua população, trabalham pelo desenvolvimento do município e não vão se sujeitar a acusações classificadas como “levianas”, mesmo que partam de um governador.


Protético também criticou na tribuna a atitude de Puccinelli de ameaçar barrar, segundo ele, com o uso da força, suposta manifestação que estudantes pretendiam fazer para cobrar maior investimento em uma instituição de educação superior pública da cidade.

Jornal Midiamax