Política

Primeiro candidato a vereador cego em MS quer acabar com a discriminação

O primeiro candidato a vereador cego de Mato Grosso do Sul tem como principal meta a exterminação do preconceito com a pessoa que possui necessidade especial. Candidato pelo PRB, o aposentado João Guanes afirmou ter sofrido muita discriminação desde que perdeu a visão devido a um deslocamento de retina. Segundo o Ismac (Instituto Sul Matogrossense para […]

Arquivo Publicado em 03/09/2012, às 17h10

None
1123358773.jpg

O primeiro candidato a vereador cego de Mato Grosso do Sul tem como principal meta a exterminação do preconceito com a pessoa que possui necessidade especial. Candidato pelo PRB, o aposentado João Guanes afirmou ter sofrido muita discriminação desde que perdeu a visão devido a um deslocamento de retina.


Segundo o Ismac (Instituto Sul Matogrossense para cegos Florivaldo Vargas), João é o primeiro candidato cego de MS e foi na instituição que ele teve que “reaprender a escrever, a andar e a viver ”.


Com nova perspectiva de vida, João decidiu estudar e foi no Ensino Fundamental que percebeu maior preconceito com sua condição. “Achavam que eu ia dar trabalho, não queriam que eu estudasse na escola. Tive que brigar muito para ficar lá”, lembrou.


Entretanto, o preconceito na escola e em outros lugares foi a motivação que João encontrou para lutar pelos direitos de todos os deficientes físicos, se candidatando à vaga na Câmara Municipal de Campo Grande. “Vou lutar pelos direitos de todas as pessoas com necessidade especial, quero garantir que as leis destinadas a nós sejam de fato cumpridas”, destacou.


Uma das propostas do candidato a vereador é garantir a fiscalização das calçadas com piso tátil para cegos e de rampas para cadeirantes. Segundo ele, muitas rampas e calçadas são inviáveis e podem causar acidentes. “Já aconteceu de eu seguir pelo piso tátil e, ainda assim, bater em um muro”, disse.


Outra meta de João é promover a inclusão do braile nas escolas. “As escolas têm libra, mas não têm a linguagem dos cegos. Quero que isso seja implantado”.


Campanha


Com coordenadores de campanha atuando como voluntários e o ajudando a percorrer a cidade, João disse não ter recursos financeiros e afirmou que sua estratégia para angariar votos é promover sua condição de cego. “Minha condição é minha propaganda, mas não uso isso para sensibilizar”, frisou. “Meu objetivo é mostrar às pessoas com necessidade especial que vou representá-las na Câmara e lutar por nossos direitos”, explicou.


João disse ainda que sua campanha é baseada no apoio das instituições e na visita às escolas e nas casas dos moradores da região do Imbirussu. “Sou muito conhecido no meu bairro e sou chamado para falar da minha vida em alguns lugares. Além disso, os representantes das instituições querem que eu os represente como vereador”, afirmou.


(Matéria editada para acréscimo de informações às 10h)

Jornal Midiamax