Política

Na TV, Bernal cita ‘podres’ de Giroto e de Dagoberto e diz que eles têm ‘muito a esconder’

No programa eleitoral desta sexta-feira (26), o deputado estadual Alcides Bernal (PP) saiu da defensiva e lembrou aos campo-grandenses dos “podres” dos rivais, Edson Giroto (PMDB) e de seu vice, Dagoberto Nogueira (PDT), e afirmou que os dois têm “muito a esconder”. Por meio de nota de esclarecimento, Bernal ressaltou que “a Justiça autorizou que […]

Arquivo Publicado em 26/10/2012, às 18h39

None
801341147.jpg

No programa eleitoral desta sexta-feira (26), o deputado estadual Alcides Bernal (PP) saiu da defensiva e lembrou aos campo-grandenses dos “podres” dos rivais, Edson Giroto (PMDB) e de seu vice, Dagoberto Nogueira (PDT), e afirmou que os dois têm “muito a esconder”.


Por meio de nota de esclarecimento, Bernal ressaltou que “a Justiça autorizou que a população tenha acesso ao processo contra Dagoberto, acusado de desvio de R$ 30 milhões do Detran”.


Também lembrou que “está para ser julgado no Tribunal Federal o processo onde o Giroto é acusado de crime na Operação Vintém”, que revelou suposta armação de crime eleitoral para atrapalhar a reeleição do então deputado estadual Semy Ferraz.


Para o candidato do PP, a campanha “é a oportunidade de vermos quem é quem”. “Giroto e Dagoberto têm muito a esconder, por isso, tentam ganhar a eleição a qualquer custo”, acrescentou na nota de esclarecimento.


Ainda por meio da nota, Bernal reforçou que vem recebendo denúncias sobre ações orquestradas para prejudicá-lo. “As ameaças recebidas já foram comunicadas ao TRE e a Polícia Federal. É preciso ficar atento com a compra de votos, com a coação e com a falsificação de provas, eles são capazes de tudo. Pare e pense, o seu voto é a oportunidade de acabarmos com a corrupção”.


Apoio de ministros, senadores, deputados e vereadores


Antes, ministros, senadores, deputados e vereadores reforçaram apoio à candidatura a prefeito de Alcides Bernal (PP). O senador Francisco Dornelles (PP-RJ) destacou que o “PP participa do governo Dilma e ocupa o Ministério das Cidades, que será o elo de ligação da administração de Bernal com o governo da presidente Dilma”.


O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), declarou que um “novo modelo de gestão está por vir, com jeito de fazer política com ‘P’ maiúsculo, jeito que Bernal tem feito”.


Ministro da Saúde, Alexandre Padilha (PT-SP) reforçou apoio a Bernal por entender que ele “já mostrou que vai priorizar a saúde e trazer para o Ministério da Saúde propostas viáveis, necessárias para Campo Grande, principalmente, o projeto do Hospital Municipal”.


A senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS) destacou que o voto é livre e secreto. “Não obedeça ordem, votar com liberdade é exercer a verdadeira democracia”, ressaltou. Delcídio do Amaral (PT) afirmou que “Alcides Bernal representa o novo, a verdadeira mudança que Campo Grande deseja e precisa”.


Terceiro colocado no primeiro turno da eleição, o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) destacou que “juntos temos o compromisso com a ética, com a transparência e de transformar nossa Capital numa cidade mais justa, humana e solidária”.


Também reforçaram apoio a Bernal o deputado estadual Pedro Kemp (PT), os vereadores professora Rose (PSDB), Marcelo Bluma (PV) e Athayde (PPS), além da vereadora eleita Luiza Ribeiro (PPS) e da candidata a vice-prefeita Fernanda Fialho (PV).


Para finalizar, Bernal pediu “consciência na hora de votar, porque o voto é como uma chave que abre as portas para o futuro, escolher bem essa chave é que nos garantirá um futuro bom, ou não. Votar é um ato democrático, tão pessoal que somente Deus e você sabem para quem foi”.

Jornal Midiamax