Política

Justiça eleitoral determina busca e apreensão de jornal anônimo que ataca Alcides Bernal

A publicação foi distribuída durante a madrugada. Para Bernal, isso demonstra desespero dos adversários, uma vez que ele lidera as pesquisas de intenção de voto na disputa à prefeitura de Campo Grande

Arquivo Publicado em 26/08/2012, às 18h27

None
265738336.jpg

A publicação foi distribuída durante a madrugada. Para Bernal, isso demonstra desespero dos adversários, uma vez que ele lidera as pesquisas de intenção de voto na disputa à prefeitura de Campo Grande

O juiz eleitoral da 35ª zona eleitoral de Campo Grande, Flávio Saad Perón, expediu decisão liminar neste domingo (26), determinando a busca e apreensão dos jornais que foram distribuídos na calada da noite, atacando o deputado estadual e candidato a prefeitura de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). Perón é o coordenador da fiscalização sobre questões ligadas a publicidade nas eleições, da Capital.

O jornal apócrifo (de origem não conhecida ou anônimo) foi distribuído na madrugada deste domingo em locais de grande circulação como pontos de ônibus e outros pelo centro da cidade. Nele foram publicadas matérias ofendendo a honra pessoal de Bernal, acusando-o de ter renegado o filho, usando palavras de baixo calão como bêbado e acusando o deputado de ter dito que tem “nojo” da periferia.

Na decisão, Perón determina “a busca e apreensão dos exemplares do impresso que estiveram sendo distribuídos, bem como a identificação das pessoas que estiveram distribuindo, para posterior identificação dos responsáveis pela confecção do jornal. Expeça-se o mandato de busca e apreensão. Requisite-se o auxilio da Força Policial. ”

Procurado pela reportagem, Bernal declarou que está é uma demonstração clara de desespero adversário, uma vez que ele está bem cotado nas pesquisas de intenção de voto.

“O assédio moral está escancarado, querem calar a imprensa, ameaçam jornalistas, servidores públicos, mentem, caluniam e agora tentam me ofender e destruir minha dignidade e credibilidade. As acusações são mentirosas, maldosas e não são de interesse público. Diz respeito a pessoas inocentes. O povo é inteligente, não vai cair em mais essa armadilha”, destacou.

Jornal Midiamax