Política

Disputa pelo controle da Câmara deve ter embate entre indicados de Puccinelli e Bernal

Vereadores se reuniram na manhã desta quinta-feira (27) na Câmara de Campo Grande para falar sobre a primeira sessão do ano, que ocorrerá no dia 1º de janeiro. Porém, o roteiro da sessão ficou em segundo plano frente aos debates sobre a escolha do novo presidente da Câmara. A eleição da Mesa Diretora esquentou depois […]

Arquivo Publicado em 27/12/2012, às 16h10

None
510341514.jpg

Vereadores se reuniram na manhã desta quinta-feira (27) na Câmara de Campo Grande para falar sobre a primeira sessão do ano, que ocorrerá no dia 1º de janeiro. Porém, o roteiro da sessão ficou em segundo plano frente aos debates sobre a escolha do novo presidente da Câmara.

A eleição da Mesa Diretora esquentou depois que os vereadores Mário César (PMDB), candidato do governador André Puccinelli (PMDB), e Rose Modesto (PSDB), indicada do prefeito eleito, Alcides Bernal (PP), despontaram como favoritos ao posto de presidente do Poder Legislativo.

Mário é a aposta de Puccinelli, para como ele mesmo disse, segurar Bernal na Câmara. A eleição do peemedebista seria uma forma de dar o troco após a derrota de Edson Giroto (PMDB) em Campo Grande. De outro lado, Bernal indicou a vereadora Rose como candidata, em uma reunião com a participação de, aproximadamente, 20 vereadores, incluindo integrantes do“Grupo dos 18” e vereadores que não fazem parte de nenhum grupo, incluindo nomes como o do atual presidente da Câmara, Paulo Siufi (PMDB), e do vereador Dr. Jamal (PR).

A vereadora Thais Helena (PT) explica que o dia deve ser bastante movimentado, com “pelo menos 10 reuniões” de diversos grupos. Segundo ela, os 18 vereadores do grupo criado para eleger o presidente da Câmara ainda devem se reunir para tentar o consenso.

O vereador Carlão (PSB) confirmou a reunião marcada para as 16 horas de hoje. Ele acredita que é preciso cuidado para não perder a reunião. “Rachou o grupo perdeu a eleição”, avaliou. Segundo Carlão, os vereadores João Rocha (PSDB) e Paulo Pedra (PDT), que também eram candidatos, abriram mão para a vereadora Rose Modesto.

“Agora começou a disputa pela presidência da Câmara e vai ser eletrizante até o último dia, quando escolheremos o presidente”, declarou o vereador Airton Saraiva (DEM). Ele lembra que o que todos previam aconteceu: a interferência de lideranças na escolha. Porém, avalia que o grupo ainda não está totalmente rachado.

O vereador Mário Cesar ainda acredita na unidade do grupo e entende que a reunião desta quinta será decisiva para saber se o grupo segue unido ou racha de vez. Ele ponderou que não há problema na indicação de Rose Modesto, visto que ela também pertence ao “Grupo dos 18”.

Em meio a disputa acirrada entre Rose Modesto e Mário Cesar, vereadores ligados a Puccinelli e ao grupo do PMDB tentam emplacar o nome do vereador Flávio Cesar (PTdoB) como alternativa para um consenso. Eles tentam convencer os vereadores de que Flávio Cesar é um nome neutro na disputa. Todavia, vereadores ligados a Bernal sabem que Flávio Cesar agrada o grupo do PMDB porque o vereador é líder de Nelsinho Trad na Câmara e também é ligado a Puccinelli.


Também correm por fora na disputa pela presidência os vereadores Edil Albuquerque (PMDB) e Dr. Jamal (PR). Edil é candidato do PMDB e uma das apostas de Puccinelli. Já o vereador Jamal seria uma alternativa de Alcides Bernal.

Jornal Midiamax