Política

Bernal diz que respeita congelamento, mas lembra aumentos abusivos aprovados

O prefeito eleito em Campo Grande, Alcides Bernal (PP), declarou ao Midiamax que respeita a posição da Câmara de Campo Grande, que nesta quinta-feira (13) votou contra o reajuste de 5,3% enviado por Nelsinho Trad (PMDB), congelando o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Apesar de dizer que respeita a decisão, Bernal estranhou a atitude […]

Arquivo Publicado em 13/12/2012, às 18h54

None

O prefeito eleito em Campo Grande, Alcides Bernal (PP), declarou ao Midiamax que respeita a posição da Câmara de Campo Grande, que nesta quinta-feira (13) votou contra o reajuste de 5,3% enviado por Nelsinho Trad (PMDB), congelando o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Apesar de dizer que respeita a decisão, Bernal estranhou a atitude dos vereadores.

“O que surpreende é que nos últimos oito anos os vereadores aprovaram aumentos abusivos e agora, no encerramento da administração do Nelsinho, são contrários a correção. Não era aumento e sim correção da inflação. Me pergunto o porquê desta atitude. Mas, reafirmo que vou assumir no dia 1º de janeiro de 2013 e vou honrar todos os meus compromissos”, justificou.

O prefeito eleito lembrou que recentemente os vereadores aprovaram, sem votos contrários, o reajuste do próprio salário e agora resolvem indicar índice zero na correção do IPTU. Diante do fato, afirma que espera o mesmo empenho na fiscalização de licitações feitas pela prefeitura, citando como exemplo as licitações da merenda, lixo e transporte coletivo.

Bernal acredita que as justificativas de falta de diálogo dele com a Câmara não se justificam, visto que os vereadores têm responsabilidade pelo trabalho que realizam: “Eles sabem da responsabilidade que têm. Devem legislar para o povo e para a administração. O que o Nelsinho encaminhou foi correção e não aumento”, concluiu.

Com a rejeição, o IPTU de 2013 terá o mesmo valor do cobrado em 2012. Os parlamentares justificaram que aprovaram a emenda para “respeitar a vontade do povo” e reclamaram da falta de diálogo com Bernal. A emenda para o “congelamento” foi apresentada pelos vereadores Athayde Nery (PPS), Vanderlei Cabeludo (PMDB), Dr. Loester (PMDB), Mário César (PMDB), Grazielle Machado (PR), Airton Saraiva (DEM) e Carlão (PSB).

Jornal Midiamax