Política

Bernal diz que Nelsinho cria fumaça para esconder problemas da cidade

O prefeito eleito em Campo Grande, Alcides Bernal (PP), considerou produtiva a agenda em Brasília, no começo de semana. O futuro prefeito revela que visitou vários ministérios e tomou conhecimento de diversos programas e projetos que estão à disposição de Campo Grande. Segundo o prefeito, a visita também serviu para evidenciar o exagero em declarações […]

Arquivo Publicado em 02/12/2012, às 16h16

None
867446212.jpg

O prefeito eleito em Campo Grande, Alcides Bernal (PP), considerou produtiva a agenda em Brasília, no começo de semana. O futuro prefeito revela que visitou vários ministérios e tomou conhecimento de diversos programas e projetos que estão à disposição de Campo Grande. Segundo o prefeito, a visita também serviu para evidenciar o exagero em declarações do atual prefeito, Nelsinho Trad (PMDB), feitas por meio do jornal Correio do Estado.

“Tomei conhecimento de vários programas e projetos. Vi que as declarações não passavam de uma tosca maneira de tentar me prejudicar. No ministério todos ficaram chateados porque estão usando um projeto importante para o Brasil para desgastar politicamente o adversário”.

O prefeito avaliou que na visita aos ministérios percebeu a clara demonstração de parceria do Governo Federal, desmentindo as insinuações de adversários. “As declarações do Antônio João, dono do Correio do Estado, e do Nelsinho, de que estávamos correndo risco de perder R$ 1 bilhão em recursos não passou de uma jogada suja de quem estava querendo prejudicar e criar cortina de fumaça com relação à inspeção veicular, Santa Casa, lixo e outros graves problemas que estão ocorrendo”, criticou.

Bernal aproveitou para esclarecer que saiu satisfeito da reunião com a bancada federal, realizada na terça-feira (25). Segundo ele, a maioria dos representantes do Estado em Brasília mostraram disposição para ajudar Campo Grande. Quanto aos que ainda tentam dificultar o trabalho, Bernal afirma que era “perfeitamente previsível”. O novo prefeito afirma que está tranquilo com relação as emendas da bancada federal, que serão empenhadas, desde que tenham viabilidade.

Nesta segunda-feira (3) Bernal dará uma entrevista coletiva para falar sobre as dificuldades encontradas pela sua comissão de transição na busca de informações referentes a atual administração. A equipe de Bernal alega que a atual administração não está colaborando e só repassou informações de conhecimento público, sem detalhes importantes.

Neste domingo, pelo Facebook, o novo prefeito criticou a demora para resolver o problema da Spipe Calarge, que foi interditada novamente. “Tem cratera engolindo a Spipe Calarge e o dinheiro do nosso povo, de novo”. No post, Bernal também demonstrou preocupação com a possível devolução da Santa Casa para os proprietários, a Associação Beneficente de Campo Grande (ABCG-Santa Casa).

“A Santa Casa chama atenção pelo movimento esquisito de devolução ou não, antes do prazo estabelecido pela justiça, pelos interventores para a ABCG… e mais, vai parar amanhã, das 14 às 17, para troca de transformador que estourou”, alertou.


Inspeção Veicular

A Prefeitura criou uma taxa de R$ 67 para inspeção veicular em Campo Grande. A nova taxa atende resolução de 2009 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), aprovada em 20 de outubro deste ano. Ela determinou que somente podem ser licenciados veículos que passem pela vistoria ambiental.

A prefeitura teria até abril de 2014 para atender a resolução, mas Nelsinho Trad (PMDB) se antecipou e lançou o edital de licitação 24 dias depois da resolução. “Tem alguma coisa errada aí, R$ 67 para ver se está saindo fumaça do carro. A cobrança equivale a 10% do salário mínimo”, declarou o deputado estadual Paulo Corrêa, que levou o caso para a tribuna da Assembleia Legislativa.

Jornal Midiamax