Política

Bernal diz que Giroto não decola e cria fofocas para abalar projeto do PP

O deputado estadual e pré-candidato a prefeito de Campo Grande pelo PP, Alcides Bernal, reagiu com veemência às declarações do deputado federal Edson Giroto (PMDB). Ontem (19), o peemedebista, que também promete entrar na disputa pela prefeitura da Capital, sinalizou a possibilidade de aliança entre PP e PMDB. A declaração de Giroto foi dada logo […]

Arquivo Publicado em 20/04/2012, às 18h12

None

O deputado estadual e pré-candidato a prefeito de Campo Grande pelo PP, Alcides Bernal, reagiu com veemência às declarações do deputado federal Edson Giroto (PMDB). Ontem (19), o peemedebista, que também promete entrar na disputa pela prefeitura da Capital, sinalizou a possibilidade de aliança entre PP e PMDB.


A declaração de Giroto foi dada logo depois de participar de coletiva de imprensa com ministro dos Esportes Aldo Rebelo (PCdoB) na Governadoria. O parlamentar afirmou que a aliança com o Bernal “vai dar certo” e indicou a possibilidade de o PP indicar seu vice. “O PP tem a mesma condição como os outros partidos têm de indicar o vice, de solicitar participação no governo, isso é importante, e vai dar certo”, declarou.


Bernal afastou qualquer aliança com o PMDB e ratificou mais uma vez que o PP terá candidatura própria em Campo Grande. “Nesse mundo da política, quando um candidato não decola, começam a inventar fofocas”, criticou.


Presidente regional do PP, o deputado também garantiu que não há possibilidade de abandonar sua pré-candidatura, mesmo que seja para favorecer a oposição.


Para Bernal, a estrutura do PP, considerada pouca para as eleições em Campo Grande, não será problema. “Estamos acostumados a fazer campanha com pouca estrutura. O principal que é a aprovação popular nós já temos”, destacou o deputado progressista.


Sem citar partidos, o parlamentar também revelou que está próximo de fechar apoio com pelo menos três legendas. Caso as alianças se concretizem, o deputado vislumbra cerca de quatro minutos de propaganda eleitoral gratuita de rádio e televisão em sua campanha. “É o que precisamos”, concluiu.

Jornal Midiamax