Política

Bernal defende fim das rixas e convoca todos para trabalhar por Campo Grande

Em sua primeira entrevista coletiva como prefeito, ele prometeu atenção especial à saúde e reafirmou que o problema não é falta de recursos, mas melhor gestão. O progressista terá um orçamento de R$ 2,7 bilhões para administrar no ano que vem

Arquivo Publicado em 28/10/2012, às 22h49

None
398095495.jpg

Em sua primeira entrevista coletiva como prefeito, ele prometeu atenção especial à saúde e reafirmou que o problema não é falta de recursos, mas melhor gestão. O progressista terá um orçamento de R$ 2,7 bilhões para administrar no ano que vem

O prefeito eleito para administrar Campo Grande pelos próximos quatro anos, Alcides Bernal (PP), disse que acredita em diálogo com todos os 29 vereadores para fazer uma gestão para deixar a Capital ainda melhor. “Vou dialogar com todos que foram eleitos para representar o povo e não candidato derrotado”, defendeu.

A declaração de Bernal, que teve dois vereadores eleitos em sua chapa (Cazuza e Chocolate), é um chamado para que todos trabalhem pensando em representar os campo-grandenses e deixem de lado a oposição durante o primeiro e segundo turnos.

Questionado sobre o fato de ter vencido o candidato defendido pelo governador André Puccinelli (PMDB) e se isso pode representar entraves politicamente, Bernal afirmou acreditar que “o governo não vai virar as costas para o povo. A Capital vai ser ainda mais bonita e gostosa de viver”.

Ainda pregando para que todos deixem as rixas de lado e trabalhem pelo bem da cidade, Bernal disse que a Justiça foi feita e que agora o momento é de fazer uma administração efetiva e harmoniosa com serviço público de qualidade. “Vou fazer de tudo para que todos se orgulhem da nossa administração.

Em sua primeira entrevista coletiva como prefeito eleito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP) disse que durante o período que percorreu o centro da cidade, bairros e distritos, as maiores reclamações foram em relação ao setor de saúde.

Bernal disse que o problema, na sua visão, não é falta de recursos, mas melhor gestão deles. Para ele, é inadmissível uma cidade que teve médicos como prefeitos e está com a saúde assim. O progressista terá um orçamento de pouco mais de R$ 2,7 bilhões para administrar no ano que vem.

Já nessa segunda-feira, 29, Alcides Bernal e Gilmar Olarte já vão se reunir com a equipe técnica que o ajudou no primeiro e segundo turno, além dos apoiadores que vieram depois para traçar as primeiras linhas de trabalho a partir de janeiro do próximo ano.

Sobre suas primeiras medidas, Bernal promete fazer uma auditoria para ver quais são as coisas erradas dentro da prefeitura e cobrar transparência. Dois pontos polêmicos tomaram conta das discussões nos últimos dias. Um deles diz respeito à concessão e tarifa do transporte coletivo urbano e o outro sobre o lixo, que tem contrato de gerenciamento bilionário.

Clima durante a campanha

Alcides Bernal disse que durante sua campanha em primeiro e segundo turnos boa parte da imprensa “se entregou a interesses oficialistas e com coisas maldosas atacaram “ a honra dele, mas ele foi coroado com a vitória dada pelo povo. “Muita gente maldosa atacou minha honra, mas superei todas as dificuldades”, disse.

Jornal Midiamax