Política

Bernal declara ser contra o aumento do IPTU em Campo Grande

O prefeito eleito de Campo Grande declarou, na manhã desta quarta-feira (31), em sessão da Assembleia Legislativa, ser contra o aumento do IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano). Ele, no entanto, frisou que até 31 de dezembro a responsabilidade da administração da Capital é do atual prefeito Nelsinho Trad (PMDB). “Sou contra o aumento do IPTU, […]

Arquivo Publicado em 31/10/2012, às 14h28

None
1466912925.jpg

O prefeito eleito de Campo Grande declarou, na manhã desta quarta-feira (31), em sessão da Assembleia Legislativa, ser contra o aumento do IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano). Ele, no entanto, frisou que até 31 de dezembro a responsabilidade da administração da Capital é do atual prefeito Nelsinho Trad (PMDB).


“Sou contra o aumento do IPTU, que o prefeito gosta de aumentar”, disse. “Como vereador, votei contra aumentos abusivos”, acrescentou. Para Bernal, o reajuste do imposto deve levar em consideração a inflação e não atingir índices superiores a 120% como foi registrado em anos anteriores. “Basta aplicar a correção normal”, defendeu.


Sobre a possibilidade de congelar o IPTU como cogitou no decorrer da campanha, o prefeito eleito ponderou precisar estudar a proposta em conjunto com sua equipe técnica. Ele disse desejar fazer valer a promessa de campanha, desde que não afete as contas da prefeitura.


“Como eu disse na campanha e, inclusive nas entrevistas, nós vamos nos informar de detalhes. Nossos técnicos vão fazer essa verificação e havendo possibilidade concreta aí sim tomaremos essa decisão”, declarou Bernal.


Ele ponderou ainda que a eleição encerrou há três dias, o que inviabilizaria uma resposta imediata. “Não posso te antecipar, a eleição terminou domingo (28). Essa é uma de nossas propostas, se for possível nós vamos fazer”, reforçou.


Jogando nas costas a responsabilidade


Bernal ainda desqualificou a tentativa dos adversários de imputar a ele a decisão sobre o reajuste do IPTU a ser tomada ainda neste ano. “A população sabe muito bem que o atual prefeito encerra seu mandato em 31 de dezembro. Não podemos tirar do ombro dele a responsabilidade da administração municipal”, ponderou.


Segundo Bernal, nem mesmo com a renúncia de Nelsinho e de seu vice, Edil Albuquerque (PMDB), a legislação permitiria sua posse como prefeito antes de primeiro de janeiro de 2013. “Dia primeiro me apresentarei e vou cumprir da melhor forma possível minhas obrigações”, prometeu.


O reajuste do IPTU precisa ser apreciado pelos vereadores e sancionado pelo atual prefeito até o final deste ano, como estabelece a legislação.


Bernal ainda avisou que não irá “pautar” sua administração com base em reportagens de veículos de comunicação. “Não vou me pautar por veículos de comunicação que estão sofridos e sofrendo com o resultado eleitoral”, adiantou. “Eles estão esquecendo que a eleição acabou”, completou.


O prefeito eleito reforçou que assim que assumir a administração não fugirá das suas responsabilidades. “A partir de primeiro de janeiro, poderão me cobrar o que for preciso e, de uma forma simples e objetiva, responderei. Para finalizar, ele pediu para ninguém “esquecer que o povo é inteligente”.

Jornal Midiamax