Política

Bernal aguarda telefonema de Nelsinho para fazer esperada reunião entre prefeitos

O prefeito eleito em Campo Grande, Alcides Bernal (PP), aguarda um telefonema do atual prefeito, Nelsinho Trad (PMDB), para fazer a esperada reunião do Executivo. Segundo Bernal, Nelsinho lhe telefonará no final da tarde para agendar a reunião para a noite de hoje ou para segunda-feira (17). No encontro Bernal quer ouvir o prefeito, mas […]

Arquivo Publicado em 16/12/2012, às 16h56

None
1105308344.jpg

O prefeito eleito em Campo Grande, Alcides Bernal (PP), aguarda um telefonema do atual prefeito, Nelsinho Trad (PMDB), para fazer a esperada reunião do Executivo. Segundo Bernal, Nelsinho lhe telefonará no final da tarde para agendar a reunião para a noite de hoje ou para segunda-feira (17).

No encontro Bernal quer ouvir o prefeito, mas também fazer pedidos. Entre as solicitações está um pedido para que Nelsinho convença os vereadores da base de sustentação dele a retirar do orçamento as emendas que tiram parte da autonomia do próximo prefeito. Bernal conta que as emendas são de vereadores liderados por Nelsinho, o que facilitaria o entendimento.

O prefeito eleito também pretende solicitar que Nelsinho abra as portas das secretarias para a equipe de transição dele, permitindo acesso a rotina de trabalho. “Vou fazer de tudo para que a transição seja harmoniosa”, garantiu Bernal.

Após inúmeras reclamações e troca de acusações, Nelsinho e Bernal se encontraram na tarde de ontem no jogo “Amigos da Paz”. O encontro serviu para que os prefeitos se falassem pessoalmente e marcasse o encontro, já que a comunicação até o momento restringia-se a trocas de farpas via notícia paga em jornal.

As equipes de transição de Bernal e Nelsinho também foram responsáveis por forçar o encontro. Na última reunião de transição eles decidiram que só voltariam a se falar depois que Bernal e Nelsinho se encontrassem. As equipes já fizeram até pauta para a reunião entre o atual e o futuro prefeito.

A relação de assuntos solicitados pela equipe de Nelsinho Trad inclui: uniforme e kit escolar; salário e assuntos relacionados a professores; licitações em curso; convênios, especificadamente os firmados com o MAPA/Frigoríficos (inspeção sanitária); operação de crédito PNAFM; assuntos da secretaria de Assistência Social; Santa Casa e prédio da Câmara.

A equipe de Bernal pediu para que fosse incluída na agenda a dengue; enchentes, transmissão do cargo de prefeito (custos e cerimonial), gestão da comunicação social; aluguel do prédio da Câmara Municipal, contrato com a empresa Águas de Campo Grande; histórico da demanda de remédios de janeiro a julho de 2012; demonstrativo de impacto dos aumentos de pessoal concedidos em dezembro de 2012; políticas aplicadas no primeiro quadrimestre de 2012; relatórios gerenciais dos resultados e ações em curso de combate a dengue; políticas preventivas e corretivas de emergência para o início do período chuvoso e a agenda crítica com informações pontuais relevantes e essenciais para os primeiros dias de governo.

Emendas

A reclamação de Bernal refere-se a duas emendas feitas ao orçamento da Câmara de Campo Grande para tentar diminuir a autonomia do próximo prefeito. Uma delas reduz de 30% para 5% o percentual autorizado para a prefeitura abrir créditos adicionais, sem autorização da Câmara. Atualmente, Nelsinho tem 30% para aplicar em despesas não computadas ou insuficientemente dotadas na Lei Orçamentária Anual (LOA).

A segunda emenda proíbe Bernal de modificar o Plano Plurianual sem a autorização da Câmara. O Plano Plurianual é o principal instrumento de planejamento de médio prazo de um governo. Ele estabelece as metas da administração para despesas de capital e outras dela decorrentes. Ele estabelece a necessária relação entre as ações a serem desenvolvidas e a orientação estratégica de governo.

Jornal Midiamax