Política

Vereadores exigem fiscalização sobre asfalto de má qualidade em Três Lagoas

Após reclamações sobre a má qualidade no asfalto recém inaugurado, vereadores cobram fiscalização da Prefeitura de Três Lagoas em obras asfálticas realizadas por empreiteiras na Cidade.

Arquivo Publicado em 12/05/2011, às 11h28

None
308463965.jpg

Após reclamações sobre a má qualidade no asfalto recém inaugurado, vereadores cobram fiscalização da Prefeitura de Três Lagoas em obras asfálticas realizadas por empreiteiras na Cidade.

Após inúmeras reclamações de moradores sobre a má qualidade do asfalto recém inaugurado em diversos pontos de Três Lagoas, vereadores cobram da Prefeitura fiscalização nas obras asfálticas realizadas por empreiteiras na Cidade.



Os pontos mais críticos estão nos bairros Santos Dumont e São Carlos. Nesses locais, desde o início do ano, veículos mais pesados têm afundado nas ruas. Segundo o vereador Ângelo Guerreiro (PDT), a Prefeitura não realiza acompanhamento dos serviços executados pelas empreiteiras.



“A Secretaria de Obras nos fornece explicações vazias sobre esse assunto. Acredito que o problema principal está na má compactação da terra, após a execução das obras para a abertura das galerias subterrâneas para a contenção das águas pluviais. Não tem cabimento um asfalto ter a durabilidade de 12 meses. Culpo o Departamento de Obras pela ausência de um acompanhamento rigoroso nos serviços executados, sem isso as empreiteiras fazem o que querem ”, afirmou Guerreiro.



Há 15 dias, o vereador Jorge Martinho (PMDB) entrou com pedido junto a Secretaria de Obras para receber informações sobre os serviços executados pelas empreiteiras na malha asfáltica da Cidade.



“Ainda não obtive resposta. Temos muitas dificuldades de conseguir dados sobre esse assunto. Entramos com uma indicação na Câmara solicitando a contratação de um engenheiro que possa esclarecer sobre a situação real dos serviços executados pelas empreiteiras em Três Lagoas nos últimos anos”, reclamou Martinho.



O líder da prefeita, Márcia Moura (PMDB), na Câmara Municipal, vereador Tonhão (PPS), disse que irá até os locais aonde os fatos vêm ocorrendo com um técnico para depois se pronunciar. “Preciso ir lá com uma pessoa especializada para poder entender o que está acontecendo”



O vereador Idevaldo Claudino da Silva (PT) afirmou que intensificará a cobrança por uma solução junto a Prefeitura.



“Tenho percorrido as ruas. Fui ao local onde um caminhão caiu no final do mês passado, na rua Pelópides Gouveia. Passei hoje na Rua Manoel de Oliveira Gomes, no bairro Santos Dumont, e o asfalto também afundou. Estou solicitando para que seja criada uma auditoria para fiscalizar as últimas obras referentes a obras de asfalto no Município”.



Secretaria de Obras



Para o secretário de obras e serviços públicos, Getúlio Neves da Costa Dias, as empreiteiras têm buscado fazer um bom serviço, mas erros podem acontecer. Sobre a qualidade do asfalto, Getúlio afirmou que nos contratos com as empreiteiras a escolha por itens mais baratos é causada para que mais ruas possam ser asfaltadas.



“Temos que fazer a escolha de acordo com o preço, ou com a verba que dispomos para cada obra. A regra é simples: Asfalto com mais qualidade custa mais caro e, com isso menos ruas poderão ser pavimentadas. Nossa opção é por atender mais três-lagoenses, porém com uma qualidade um pouco inferior”, esclareceu o secretário.



Responsabilidade



De acordo com o secretário de obras, a empreiteira é responsável pela qualidade dos serviços executados por um período de cinco anos. “Cabe a ela corrigir os trabalhos que têm apresentado problemas”, apontou Getúlio.



De 2010 até hoje, a Construtora Pactual foi contratada pela Prefeitura para realizar obras em bairros de Três Lagoas – Jardim Dourado, São Carlos, Santos Dumont, Vila Nova e Santa Luzia.



Procurada pela reportagem do Midiamax, até o momento a Pactual não respondeu os recados deixados no celular de seu representante, em Três Lagoas, Sr. Hugo.


Jornal Midiamax