Política

Vereadores denunciam uso irregular de propaganda em Câmara no interior de MS

O vereador Eriberto Sangalli (DEM), acusou hoje na tribuna a presidente da Câmara de Vereadores de São Gabriel do Oeste, Ana Maria Rohr (PMDB), de discriminação e uso irregular de propaganda institucional. Segundo Eriberto, ele e os vereadores Rosmar Alves (PP), Ramão Gomes (PP) e Marcos Paz (PT), já denunciaram e solicitaram explicações sobre o […]

Arquivo Publicado em 21/12/2011, às 02h04

None

O vereador Eriberto Sangalli (DEM), acusou hoje na tribuna a presidente da Câmara de Vereadores de São Gabriel do Oeste, Ana Maria Rohr (PMDB), de discriminação e uso irregular de propaganda institucional.


Segundo Eriberto, ele e os vereadores Rosmar Alves (PP), Ramão Gomes (PP) e Marcos Paz (PT), já denunciaram e solicitaram explicações sobre o uso irregular da propaganda institucional da Câmara Municipal são-gabrielense onde estariam sendo discriminados, e que não aparecem na propaganda do legislativo e não são convidados a darem entrevista nas rádios e jornais que tem contrato com a Câmara.


Eriberto seguiu elencando uma série de irregularidades cometida pela presidência da Casa de Leis e sua relação com a mídia, permitindo que apenas os vereadores que compõe a Mesa Diretora tenham espaços na mídia. Um dos pontos polêmicos na Lei Orgânica que pretendem modificar tem um ítem que obrigaria a casa transmitir em tempo real as sessões da Câmara, texto que não tem o aval da presidente Ana Rohr.


“Porque a presidente autoriza o pagamento de valores expressivos a veículos de comunicação que não transmitem as sessões e que ainda criticam e expões o Poder Legislativo ao ridículo, não podemos permitir isso esta casa merece ser respeitada, temos que resolver as nossas questões internamente”. Dizia o vereador Eriberto na tribuna.


Eriberto ainda citou os valores oficiais que a Câmara paga mensalmente aos veículos de comunicação: Rádio AM R$ 7.500,00, rádio FM R$ 3.500,00, Site Idest R$ 5.000,00, Folha de São Gabriel 1.800,00 e que são valores que estariam sendo utilizados irregularmente para destacar mais as ações do executivo do que as do legislativo. “Serão em dois anos de mandato da atual presidência mais de R$ 400 mil reais jogados pelo ralo” explicou Eriberto.


A bronca dos vereadores de oposição começou porque, segundo eles, as rádios e jornais e até mesmo a nominação de Projetos de suas autorias não são divulgadas ou omitidas e não entrevista eles e os vereadores de oposição.


“É inadmissível que um veículo pago pela câmara faça charges chacoteando os vereadores sejam eles de situação ou oposição. “todos temos uma folha de serviços prestados nesta casa por autorização da população que agora é incitada a nos desmoralizar” finaliza o vereador Eriberto.



Jornal Midiamax