Política

Reportagem flagra deputados do PMDB atacando PT; Geraldo Resende participava do diálogo

Um grupo de dez deputados federais do PMDB foi flagrado por um repórter da Folha de S.Paulo, durante almoço ontem (26) em Brasília, quando lançavam fortes críticas contra o PT e até integrantes do próprio partido. A reportagem intitulada “Peemedebistas atacam PT e chamam de ‘ridícula’ pasta de correligionário” está publicada na edição do jornal […]

Arquivo Publicado em 27/01/2011, às 20h00

None

Um grupo de dez deputados federais do PMDB foi flagrado por um repórter da Folha de S.Paulo, durante almoço ontem (26) em Brasília, quando lançavam fortes críticas contra o PT e até integrantes do próprio partido. A reportagem intitulada “Peemedebistas atacam PT e chamam de ‘ridícula’ pasta de correligionário” está publicada na edição do jornal desta quinta-feira (27).


Entre os deputados estava o parlamentar sul-mato-grossense Geraldo Resende. O jornal informa que, sem saber da presença do repórter, os deputados diziam que o PT tenta marcar o PMDB como o partido do “fisiologismo” e que o governo repassou à sigla só ministérios irrelevantes.


Além de Resende, estavam no encontro do grupo batizado de “Afirmação Democrática” Ibsen Pinheiro (RS), Osmar Serraglio (PR), Osmar Terra (RS), Edinho Bez (SC), Gastão Vieira (MA), Raul Henry (PE), Mauro Mariani (SC), Manoel Júnior (PB) e o deputado eleito Alceu Moreira (RS).


Osmar Terra era um dos mais exaltados, de acordo com a reportagem. Ele classificou o ministério de Moreira Franco (Assuntos Estratégicos) como “ridículo” e disse que a pasta de Garibaldi Alves (Previdência) é “presente de grego”. Um dos participantes, não identificado na hora da fala, afirmou que a Agricultura é “a única pasta que serve”.


A matéria mostra ainda Ibsen Pinheiro ressaltando que o PMDB tem uma imagem “horrível” perante à opinião pública e que o PT ajuda a difundir a ideia de fisiologismo do partido. Todos concordaram, porém, que colegas, como o deputado Eduardo Cunha (RJ), reforçam essa imagem.


Procurado pelo Midiamax para comentar a reportagem, o deputado federal Geraldo Resende confirmou que os parlamentares do PMDB rejeitam a imagem de partido “fisiológico”. “Hoje qualquer disputa por espaço político pelo PMDB é taxada de fisiologismo, mas quando os outros partidos o fazem, não”, afirmou.


Resende argumentou que o foco dos membros da “Afirmação Democrática” não é apenas brigar meramente por espaço político, mas sim, trabalhar para trazer à pauta da Câmara Federal discussões importantes ao país, como reforma tributária, reforma política e a aprovação pelo Congresso da Emenda 29, que destina mais recursos para a saúde.

Jornal Midiamax