Política

Por determinação judicial, vereador assume vaga em Amambai

Uma liminar proferida pelo Juiz Titular da 2ª Vara da Comarca de Amambai, Dr. Tiago Nagasawa Tanaka, tornou nula a posse de Robertino Dias (PSDB) e conduziu ao cargo de vereador, na manhã dessa quinta-feira (10) em Amambai, o empresário Roberto Peres. Peres, mais conhecido na cidade como “Martelo de Ouro”, que é do Partido […]

Arquivo Publicado em 10/03/2011, às 14h18

None

Uma liminar proferida pelo Juiz Titular da 2ª Vara da Comarca de Amambai, Dr. Tiago Nagasawa Tanaka, tornou nula a posse de Robertino Dias (PSDB) e conduziu ao cargo de vereador, na manhã dessa quinta-feira (10) em Amambai, o empresário Roberto Peres.

Peres, mais conhecido na cidade como “Martelo de Ouro”, que é do Partido da República (PR), tomou posse na vaga deixa pelo vereador Anderson Rodrigues de Souza Mansano (PR), que morreu no mês passado (fevereiro) vítima de câncer e até a decisão judicial era ocupada pelo vereador tucano.

A decisão judicial conduzindo Roberto Peres ao cargo saiu no final da tarde dessa quarta-feira (9). Ao receber a liminar na manhã dessa quinta-feira, que determinava a condução imediata do empresário ao cargo, o presidente da Câmara Municipal de Amambai, vereador Osvaldo Machado Franco, o “Coconho”, que também é do Partido da República, consultou a assessoria jurídica da Casa e empossou o novo vereador que passou a atuar já na sessão, que por conta do Carnaval, essa semana foi realizada na manhã dessa quinta-feira.

Vaga é do partido e não da coligação

Ao analisar o mandado de segurança com pedido de liminar protocolado pelos advogados de Roberto Peres, Dra. Nubielli Dalla Valle Rorig e Dr. João Estivalete Carvalho, o Juiz, Dr. Tiago Tanaka se baseou em decisões e entendimentos de instâncias superiores, inclusive do Supremo Tribunal Federal (STF) que indicam que o cargo é do partido e não da coligação, para conceder à liminar.

PSDB vai recorrer, diz Robertino Dias

Procurado pela nossa reportagem, Robertino Dias, que perdeu a vaga em decorrência da decisão judicial, informou que vai recorrer da decisão e tentar retornar ao cargo.

Segundo o vereador afastado, já que a decisão cabe recurso, o recurso será protocolado junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul pelos advogados do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) da Capital do Estado, Campo Grande, já que a matéria sai da arcada da Justiça Eleitoral e tramita na Justiça comum. “Esperamos reverter essa situação”, disse o vereador.

Jornal Midiamax